«Não sei se podem tirar vantagem disso», responde Jesualdo Ferreira. «Para passarem o F.C. Porto têm de ganhar todos os jogos e o F.C. Porto não ganhar os jogos que tem. Não sei se é melhor estar à frente com dois a correr atrás ou se é melhor estar atrás a correr de quem está à frente. Sei, isso sim, que nós preferimos estar assim», disse.

«Já houve casos na Europa de equipas que venceram a Liga sem abdicar da Champions e também já houve casos em que foi preciso abdicar de uma prova em função da outra. Certo é que nós temos uma coisa que os outros não têm, objectivos. Temos três objectivos. Ter objectivos na vida faz as pessoas correrem muito, juntarem-se muito.»

Por isso Jesualdo acredita que é capaz de transformar a aparente desvantagem portista numa vantagem. «Até ao fim temos seguros 13 jogos, nove da Liga, dois da Taça e dois da Champions. A correr bem podem ser 16 ou 17. Isso tudo em mês e meio. Por isso perceberão a densidade competitiva dessas semanas», começou por dizer.

«Não nos preocupa, estimula-nos. Obriga-nos a ter capacidade de sofrimento e trabalho. Os novos jogos da Liga são nove finais, os dois jogos da Champions são duas finais e os dois jogos da Taça são duas finais, mas preferimos assim. Preferimos assim por cada treino gera jogadores mais cansados mas mais fortes e capazes de atingir objectivos que de outra maneira seria difícil.»

«Benfica, F.C. Porto e Sporting têm os pontos que merecem»

Pelo caminho Jesualdo entrou mais a fundo na conversa sobre a luta pelo título. Para o treinador, não há nada de errado na classificação. «O F.C. Porto tem os pontos que merece porque tem estado pouco eficaz em casa, o Benfica tem os pontos que merece porque tem mostrado dificuldades em alguns campos e o Sporting tem os pontos que merece porque tem tido outro tipo de problemas.»