Manuel Machado e Carlos Carvalhal, treinadores de Nacional e Marítimo, respectivamente, em declarações à Sport TV, a comentar o empate entre as duas equipas (1-1):

Manuel Machado:

«O jogo foi de equilíbrios. É um jogo que arrasta muitas emoções e as equipas não queriam perder. O Nacional foi mais ofensivo, jogou mais no meio-campo do Marítimo. O controlo do jogo esteve mais do nosso lado. O Marítimo defendeu muito, quebrou o ritmo por tudo e por nada, e acaba por ser premiado, acaba por conseguir o seu objectivo.»

[sobre a luta pelo quarto lugar] «Nunca ninguém disse que esse era um lugar que pretendemos atingir. Tenho dúvidas até que o Nacional, o Marítimo ou o Leixões o quisessem fazer. Já o disse, meio em jeito de brincadeira, que os primeiros quatro lugares estão atribuídos. Foi uma vergonha o que aconteceu em Setúbal. Temos de tentar ganhar os jogos que restam e pontuar o máximo. Ao contrário de outros, não dizemos que fazemos isto e aquilo. Fazemos o nosso trabalho com discrição. Estamos no primeiro terço da tabela e com possibilidades de chegar à final da taça, o que abona a favor do trabalho que tem sido feito. A questão do quarto lugar não nos apoquenta.»

Carlos Carvalhal:

«Antes do golo do Nacional há três oportunidades claras para o Marítimo. Podíamos ter marcado, e em vantagem seriamos mais fortes ainda, tendo em conta a forma como a equipa está preparada. O jogo acabou depois por se repartir. Sofremos um golo contra a corrente do jogo, e acusámos isso em demasia. Temos alguns jogadores jovens e a equipa deixou-se abater.»

«Na segunda parte fizemos algumas correcções. Arriscámos um pouco. Conseguimos chegar justamente ao empate, embora nessa fase o Nacional também teve oportunidades. Depois há a expulsão. Naquela altura a equipa foi muito inteligente. O Bruno já tinha pedido para sair, e não foi possível. O Olberdam vem de uma longa paragem. O meio-campo estava enfraquecido. A equipa esteve bem posicionada. Com mais opções frescas no ataque podíamos ter discutido o resultado, mesmo com dez contra onze. Valorizo a atitude e a coesão da equipa. Os campeonatos também se decidem assim. Somámos um ponto.»

«Queríamos ganhar, e mostrámos isso logo no início, mas dadas as condicionantes, não deixamos de somar um ponto. Estamos na luta. Quem sabe se este ponto não será extremamente importante no final.»