Apesar do empate registado em Madrid na primeira mão (um mal menor na sua perspectiva), o médio do Atlético reconheceu que o anfitrião está em vantagem por ter bisado no Vicente Calderón. «O F.C. Porto jogou melhor que nós. Praticamente, controlou todo o jogo. De facto, é incrível como não marcaram mais. Sabíamos que ia ser difícil, se não estivéssemos no nosso melhor. Eles souberam manter a tranquilidade e, depois de terem igualado pela primeira vez, criaram várias oportunidades para marcar», recordou, em declarações à UEFA.

No Porto, então com José Mourinho no comando técnico, conquistou a Taça UEFA e a Liga dos Campeões, sem esquecer o campeonato nacional, dias felizes que Maniche jamais esquecerá. «É um sentimento especial. Foram três anos fantásticos e gostaria de aproveitar para agradecer aos adeptos pelo carinho que sempre demonstraram por mim», disse o internacional português, de 31 anos.

Maniche assegurou, no entanto, que não vai permitir que as recordações atrapalhem a ambição de continuar na liga milionária. «Claro que os podemos vencer! Há mais 90 minutos em jogo e, apesar das dificuldades, sinto que temos equipa suficiente para seguir em frente. Mas teremos de estar no nosso melhor», alertou.

Simão diz que Atlético podia ter ganho primeira mão

Simão, companheiro de Maniche no Atlético, também está de volta a um terreno familiar, onde jogou quando representava o Benfica. «Não é fácil defrontar o F.C. Porto, mas é lamentável termos concedido dois golos. Nestas competições, não podemos permiti-lo», defendeu o também internacional português, em declarações à UEFA.

Para o atacante colchonero a eliminatória não está perdida, pelo contrário. «Podíamos ter ganho a primeira mão, mas ainda há 90 minutos e muito futebol para jogar», concluiu.