«Desde final de Maio, mais ou menos, que a minha decisão está praticamente tomada. Isto apesar de ter recebido alguns convites e demonstração de interesse da parte de alguns clubes nacionais e estrangeiros, decidi dar por terminada a minha carreira enquanto jogador de futebol profissional.» Foi desta forma que Pedro Barbosa anunciou o fim. «Não foi uma decisão fácil, porque nunca é fácil terminar o que quer que seja. A verdade é que isto era um sonho de criança que se tornou realidade e ser jogador de futebol foi extraordinário», confessou.

Orgulhoso com o que fez no futebol português e nos últimos 10 anos ao serviço do Sporting, Pedro Barbosa considera que cumpriu o que mais desejava. «Foram 21 anos de carreira, de prazer, de paixão, de dedicação a uma profissão que é realmente fantástica. Tenho muito orgulho naquilo que consegui, no meu passado e ser jogador de futebol foi o melhor que me aconteceu. A verdade é que se há 21 anos me perguntassem se estaria aqui a dizer uma coisa destas eu diria que estavam a brincar, porque em criança todos nós temos sonhos e ser jogador de futebol era realmente o meu sonho e tive a felicidade de o realizar, conquistar títulos, jogar em vários clubes e estar no topo. Isso para mim foi realmente fantástico, mas isso agora terminou e para mim ser jogador de futebol fica por aqui», sustentou.

Com 35 anos (feitos no passado dia 6), Pedro Barbosa acredita que ainda tinha condições para se manter a jogar ao mais alto nível. Mas, recusando-se a entrar em polémicas pela forma como abandonou o Sporting, o ex-capitão assume que na actual estrutura leonina não se ia manter: «Sentia condições para continuar a jogar, mas a verdade é que nestas condições eu não o faria no Sporting. Como já tinha dito que em Portugal não jogaria em mais lado nenhum, uma situação no estrangeiro punha-me inúmeros problemas e tinha de ser realmente uma coisa fantástica. Eu nesse aspecto ia ser extremamente exigente e não tinha só a ver com questões financeiras. Tinha a ver com o clube, a cidade, o país, porque não é fácil. Tenho um filho de 10 anos e uma filha de seis e mudar de país não era fácil. Portanto, entendi e aproveitei este tempo para respirar.»

A conferência de imprensa de Pedro Barbosa foi acompanhada de perto por Rui Jorge, Paulo Bento e Carlos Freitas, ex-director-geral do Sporting, que quiseram apoiar o ex-capitão dos «leões» na hora do adeus.