«Don’t worry about a thing, ‘cause every little thing is gonna be all right.»

Three Little Birds é um tema alegre, icónico e, por estes dias, tornou-se quase profético para o Ajax.

O clube de Amesterdão não se preocupou com a derrota em casa por 1-2, nos oitavos de final da Liga dos Campeões, e tudo correu bem, em Madrid, com uma reviravolta por 4-1 que valeu ao histórico clube holandês o apuramento para os quartos, 16 anos depois.

Se milhares adeptos do Ajax cantaram em tom jocoso nas bancadas do Santiago Bernabéu «Always Look on the Bright Side of Life», dos Monty Python, o verdadeiro hino adotado por eles nos últimos anos tem sido Three Little Birds, de Bob Marley: uma canção alegre que contagia o futebol positivo que o clube é famoso por cultivar.

Neste Plateia, contamos-lhe a origem dessa conexão entre Marley e o grande clube de Amesterdão. Aproveitamos também para dar-lhe a conhecer duas novidades: um recente documentário sobre o Superclássico do futebol argentino, publicado aqui na íntegra, e um novo livro sobre o FC Porto.

Fique com as sugestões para ver, ouvir e ler futebol.

--

OUVIR: Three Little Birds

Autores: Bob Marley

Género: reggae

País: Jamaica

Duração: 3:00 minutos

Gravado em 1977 e lançado em setembro de 1980, pela editora Tuff Gong, o tema escrito e cantado por Bob Marley, com os Wailers, foi adotado como uma espécie de hino para os adeptos do Ajax nos últimos anos.

A culpa foi de Ali Yassine, antigo speaker e DJ do estádio do Cardiff City, que, em 2008, no final de um particular de pré-época entre o clube galês e o Ajax, em 2008, que terminou empatado, fez ecoar nos altifalantes o tema de Marley.

«Então, eles começaram a dançar, a cantar, a bater palmas ao ritmo da canção», recorda Yassine numa reportagem da Bleacher Report.

Após aquele primeiro momento, em Cardiff, a ligação foi espontânea e alastrou-se para a Arena de Amesterdão, onde na época passada Ky-Mani Marley, filho de Bob Marley, interpretou ao vivo o tema à em dia de jogo [veja a atuação no vídeo abaixo].

Don't worry about a thing,

'Cause every little thing

is gonna be all right.

Sayin',don't worry about a thing

'Cause every little thing

is gonna be all right.

Rise up this morning

Smile with the rising sun

Three little birds

It's by my doortep

Singin' sweet songs

of melodies pure and true

Sayin',"This is my message to you",uh,uh

Sayin' don't worry about a thing

'Cause every little thing

is gonna be all right.

Sayin' don't worry about a thing

'Cause every little thing

is gonna be all right

Rise up this morning

Smile with the rising sun

Three little birds

It's by my doorstep

Singin' sweet songs

Of melodies pure and true

Sayin', "This is my message to you" uh, uh

Singin' don't worry about a thing,

worry about a thing, oh!

Every little thing is gonna be all right.

Don't worry!

Singin' don't worry about a thing"

I won't worry!

'Cause every little is thing gonna be all right.

Singin' don't worry about a thing,

'Cause every little thing is gonna be all right

I won't worry!

Singin'don't worry about a thing,

'Cause every little thing is gonna be all right.

Singin' don't worry about a thing, oh no!

'Cause every little thing is gonna be all right!

--

VER: «The Biggest Game of All Time»

Género: documentário

Produção: Copa 90

País: Reino Unido / Argentina

Duração: 56 minutos

--

«Imaginem um Barcelona-Real Madrid na final da Liga dos Campeões… Vezes 100!», sintetiza na apresentação um jornalista argentino.

Aquando da final da Taça Libertadores entre River Plate e Boca Juniors, apresentámos cinco documentários sobre os rivais do Superclássico.

Desta vez, exibimos um retrato sobre esses dias de paixão e fervor em Buenos Aires e disponibilizamos na íntegra o recente documentário da Copa 90 sobre a decisão da grande prova sul-americana de clubes.

Neste episódio especial de «Derby Days», apresentado como habitualmente por Eli Mengem, vamos ao âmago de Buenos Aires para perceber como uma rivalidade de bairro se tornou no maior clássico do futebol mundial.

«The Biggest Game of All Time»: esta versão de Xeneízes versus Millonarios vale mesmo a pena ver.

--

LER: «A Pele do Dragão»

Autor: Francisco Araújo

Editora: Museu do FC Porto

Género: História

País: Portugal

Páginas: 400

Preço: 39 euros

400 páginas e 125 anos de história do FC Porto contada através dos equipamentos.

«A Pele do Dragão» é o fruto de três anos de trabalho de Francisco Araújo, comandante da TAP que na condição de indefetível portista levou a cabo a notável empreitada de escrever sobre as camisolas azuis e brancas que foram marcando décadas.

Este livro de capa dura, editado pelo Museu do FC Porto, tem prefácio do presidente Pinto da Costa, que esteve na apresentação, a 19 de fevereiro.

De momento, a publicação que assinala o 125.º aniversário do FC Porto poderá ser adquirida nas lojas clube, sendo que a distribuição se alargará mais tarde a outros pontos de venda habituais.

O preço de capa, de 39 euros, beneficia de um desconto de 10 por cento para sócios portistas.

--

«PLATEIA» é um espaço quinzenal de sugestões culturais sobre futebol do jornalista Sérgio Pires. Pode enviar as suas através do e-mail smpires@mediacapital.pt