Na ficha de jogo a principal novidade nem foi nenhum jogador. Ao contrário do que estava previsto, Carlos Queiroz não foi para o banco. Agostinho Oliveira orientou a equipa, com o seleccionador principal na bancada.

Foi do camarote que Queiroz viu um início de jogo muito pobre, com ritmo muito reduzido e praticamente nenhuma oportunidade de golo. A primeira ocasião de perigo até pertenceu à Roménia. Estavam cumpridos 17 minutos quando Stancu surgiu solto na área e rematou cruzado, mas ao lado. Pouco depois Manuel da Costa fez um corte providencial, a evitar que um cruzamento de Prepelita chegasse a Stancu, que estava pronto para o desvio.

No entanto, seria Portugal a inaugurar o marcador, sem fazer muito por isso. A equipa das quinas aproveitou um lance de bola parada e marcou, por intermédio de Eliseu, a passe de Diogo Valente. Aos 36 minutos a selecção romena esteve perto do empate, com uma dupla ocasião. Primeiro Stancu a obrigar Moreira a defesa apertada, e depois Herea, com tudo para marcar, a atirar por cima. A Roménia parecia estar a justificar mais a vantagem, ainda que Eliseu, à beira do intervalo, tenha estado perto de «bisar».

Se ao intervalo o empate parecia ser o resultado mais justo, no segundo tempo a equipa das quinas fez por justificar o triunfo. A exibição não foi excelente, longe disso, mas a etapa complementar foi disputada quase sempre no meio-campo romeno.

Varela animou as bancadas com alguns bons pormenores, e numa dessas jogadas Manuel da Costa obrigou o guarda-redes romeno a defesa apertada (52m). Pelé e Rúben Amorim também testaram a meia-distância, mas sem sucesso.

O «carrossel» de substituições (treze, no total) cortou um pouco o ritmo, quando parecia que os jogadores queriam dar mais, mas ainda assim Yannick Djaló, um dos elementos que saiu do banco, dilatou a vantagem lusa perto do fim.

Um triunfo que dá saldo positivo à ideia de recuperar a selecção «B», mas num jogo que poucas notas de destaque terá valido ao bloco de notas de Queiroz.

FICHA DE JOGO:

Estádio Municipal de Rio Maior

Árbitro: Fernando Teixeira (ESP)

Auxiliares: Victoriano Diaz e Manuel Angel Torre (ESP)

Quarto árbitro: André Gralha (POR)

PORTUGAL «B»: Moreira (Rui Patrício, 85m); João Pereira (Sereno, 55m), Manuel da Costa (Moreno, 55m), Nuno André Coelho, José Gonçalves (André Marques, 37m); Pelé, Rúben Amorim e Rúben Micael (Amaury Bischoff, 66m); Eliseu, Varela e Diogo Valente (Yannick, 66m)

Suplentes não utilizados: Rui Patrício

Seleccionador: Agostinho Oliveira

ROMÉNIA «B»: Tatarusanu (Vatca, 68m); Dananae (Voicu, 78m), Latovlevici (Luchin), Abrudan, Moti; Curtean (Iordache, 46m), Prepelita (Pacurar, 61m), Herea, Lazar; Varga (Balan, 46m) e Stancu (Dina, 68m)

Suplentes não utilizados: -

Seleccionador: Valeriu Rachita

Golos:

1-0 por Eliseu, aos 26m

2-0 por Yannick, aos 87m

Acção disciplinar: cartão amarelo para Manuel da Costa (40m) e Abrudan (84m)