As contas têm em conta a capacidade dos clubes de gerar dinheiro, somando receitas de bilheteira, de televisão e comerciais. Não entram as verbas de transferências de jogadores. O relatório constata que, globalmente, os principais clubes aumentaram receitas, pelo que não foram afectados pelos tempos de crise.

Destaque também para o Barcelona, que subiu ao segundo lugar no final de um ano coroado de sucessos desportivos, relegando para o terceiro lugar o Manchester United, que foi durante vários anos líder desta lista.

Leia mais na Agência Financeira

Sem surpresas, só entram neste top equipas dos quatro principais campeonatos europeus. Há quatro ingleses, três italianos, com o Inter de José Mourinho a superar este ano o Milan, dois espanhóis e um alemão. E alargando a lista aos 20 primeiros a única novidade é a entrada de clubes franceses, no caso Lyon e Marselha.

Os 10 clubes mais ricos do Mundo

1 (1) Real Madrid, 401.4 milhões

2 (3) Barcelona, 365.9

3 (2) Manchester United, 327.0

4 (4) Bayern Munique, 289.5

5 (6) Arsenal, 263.0

6 (5) Chelsea, 242.3

7 (8) Liverpool, 217.0

8 (11) Juventus, 203.2

9 (10) Inter, 196.5

10 (7) Milan, 196.5