Fábio Coentrão, Dr. Jekyll vs. Mr. Hyde

Num corpo tão franzino esconde-se uma personalidade dupla. Um pouco ao jeito Dr. Jekyll, Mr. Hyde, numa deliciosa teoria maniqueísta que merece ser dissecada. Com a bola nos pés, sobressai o talento infindável que possui; dribla, cruza, assiste, recepciona e distribui. A irreverência excessiva que o ofusca, porém, surge com uma facilidade preocupante; à mínima provocação reage descontrolado. Como acalmar este mau génio? Joga, de facto, muito futebol. O cruzamento para o golo de Yazalde é primoroso; a forma como apontou o segundo sustenta uma criatividade rara e que merece ser preservada.

Yazalde, que se dane o estilo

Possui um estilo peculiar, esteticamente pouco apelativo. Quem olha para ele, não antevê a pérola que esconde no âmago do seu futebol. Forte, atarracado, poderoso, movimenta-se com propósito e antecipa os lances de forma inteligente. O golo apontado, o terceiro na Liga, é muito bom: após cruzamento milimétrico de Coentrão na direita, desviou de cabeça sem hipóteses para o guarda-redes contrário.

Wires, uma descoberta a rever

O Rio Ave descobriu-o no Vera Cruz de Pernambuco, mas tem passado a época na sombra do protagonismo de Miguel Lopes. A lesão do lateral direito já contratado pelo F.C. Porto permitiu-lhe entrar na equipa e Carlos Brito só pode estar satisfeito com o seu rendimento. Forte fisicamente, tecnicamente evoluído e muito bom a cruzar. Mete a bola onde quer, como se costuma dizer.

David Caiado, o menos mau da Trofa

Passou mais tempo no banco de suplentes do que a jogar até agora e esteve mesmo com um pé numa equipa Chechénia. Esta tarde Tulipa decidiu entregar-lhe um lugar no onze inicial e David Caiado demonstrou que a sua temporada poderia estar a ser bem diferente, para melhor. Foi o menos mau da sua equipa. Bons pés, velocidade, dinamismo. Pena ter estado tão mal acompanhado.

Tiago Pinto, um golo a atenuar a mediania

Um bom golo a colorir uma actuação apenas mediana. Arriscou pouco nas subidas pelo seu flanco e teve muitos problemas na marcação a Fábio Coentrão. Numa das suas poucas arrancadas, recebeu muito bem o passe de Hugo Leal e finalizou com categoria.