triunfo do V. Guimarães em Paços de Ferreira

O Vitória ainda só conseguiu duas vitórias na presente temporada e o defesa central refere que esse resultado positivo «só faz sentido» se tiver sequência na receção ao Nacional da Madeira.

 

«Já procurávamos a vitória há algum tempo, já a merecíamos e daí aquela festa no final do jogo, que acho natural, devido ao facto de merecermos a vitória e também de ter acontecido no último minuto. Teve um significado bom porque é sempre uma vitória num campo difícil, contra uma boa equipa. São três pontos importantes na nossa caminhada, mas que só têm valor se conquistarmos mais três diante do Nacional», referiu o jogador de 25 anos antes do treino matinal desta quinta-feira.

Na Mata Real o V. Guimarães manteve a sua baliza inviolável. O defesa que regressou à titularidade em virtude da expulsão de Moreno espera manter esse registo: «Não termos sofrido golos é um facto importante; não se deve só à defesa ou ao guarda-redes, mas sim à união e à coesão do grupo. Agora é manter e com a união de todos vamos conseguir continuar com a baliza a zero».

Para a receção ao Nacional da Madeira, às 20h45 do próximo sábado, João Afonso espera dificuldades. «É uma boa equipa, que também luta pelos lugares europeus, como tem sido nos últimos anos; tem um treinador experiente e alguns jogadores com rotina de primeira divisão. Não vai ser um jogo nada fácil», concluiu o jogador natural de Castelo Branco.

 

Confrontado pelos jornalistas com o mau arranque de época da equipa, João Afonso recusa-se a atribuir as culpas à inexperiência de Armando Evangelista ou à saída de Rui Vitória.

«Não tem a ver com o treinador. O ano passado começámos muito bem, este ano não tivemos essa felicidade, mas não podemos atribuir essa responsabilidade ao treinador. Somos profissionais e temos de nos adaptar a quem quer que esteja no comando. Acusámos a saída do Rui Vitória? Não podemos dizer isso, porque trabalhamos e empenhamo-nos de igual modo com quem quer seja o treinador», atirou.