Figura: Pizzi

O patrão do futebol do Benfica voltou a fazer um jogo de encher o olho. No meio campo, mas sobre o lado esquerdo, teve toda a liberdade para criar jogo. Brilhou sobretudo na assistência admirável a isolar João Félix para o golo inaugural, mas antes disso já tinha colocado Salvio na cara do guarda-redes e depois disso voltou a fazê-lo. Pelo meio viu Rodrigo tirar-lhe um golo em cima da linha.

Positivo: João Félix

Estreou-se a titular, num jogo de extremos. Viveu um momento de enorme felicidade ao abrir o marcador, com um remate forte na cara do guarda-redes após assistência de Pizzi. Pelo meio teve pormenores de classe, que não escondem, porém, que ainda tem muito a amadurecer. O normal aos 18 anos. Logo no início da segunda parte lesionou-se e por isso abandonou o relvado em ombros.

Negativo: Desp. Aves

Dificilmente a formação de José Mota podia ambicionar algo mais do que isto: uma derrota que não envergonha. Desde o início que a formação avense defendeu muito, e com muitos homens, num esquema de linhas recuadas e muito próximas. Ofensivamente praticamente não existiu, só por três vezes chegou à baliza de Vlachodimos. Os golos encarnados eram, portanto, uma questão de tempo.

OUTROS DESTAQUES:

Salvio

Continua numa forma muito elogiável, sempre aparecer em jogo, sempre a carrilar futebol, sempre pronto a dar velocidade ao ataque encarnado. Mas falha demasiadas vezes na cara do golo. Esta noite, por exemplo, falhou duas vezes isolado por Pizzi, para depois atirar ao ferro. Parecia sina.

Seferovic

Não marcou, é verdade, mas não foi por não tentar: está com a vontade toda de mostrar que merece ficar no Benfica, corre muito na frente de ataque, abre espaços, dá linhas de passe, enfim. Esta noite obrigou Beunardeau a duas boas defesas e deixou Pizzi na cara do golo com um grande passe.

Cervi

Entrou para o lugar do infeliz João Félix – que teve de ser substituído por lesão no reinício do jogo, e não tardou muito a justificar a aposta: nove minutos depois de entrar, recebeu de André Almeida e atirou para o segundo golo. Só por isso, por aquele golo da tranquilidade, merece este destaque.

Jonas

Entrou em campo aos 72 minutos, para jogar pouco mais de vinte minutos e receber uma tremenda ovação do Estádio da Luz. Voltou a jogar quase oito semanas depois e voltou a participar num jogo oficial mais de quatro meses depois da última vez. Aos 34 anos, parece estar a viver a terceira vida.