«Este é um dos momentos mais importantes da minha carreira como treinador e quero desfrutá-lo. Mas não é o jogo da minha vida», atirou Jesualdo, sempre sereno, sempre insistente nas ideias germinadas a semana passada, em Inglaterra.

«A única coisa que garanto é esta: nunca alterarei a identidade da minha equipa. Se vamos entrar fortes? Não sabemos jogar de outra maneira. Mas nenhuma equipa pode entrar forte se a outra não o permitir. As estratégias são montadas, as equipas saem do balneário com ideias frescas e nós temos a nossa forma de abordar o jogo. Com o avançar dos minutos, as duas equipas adaptam-se ao contexto das partidas.»

E nem quando se sugeriu uma inversão no estatuto de favorito da eliminatória, Jesualdo abandonou o tom aquilino. «Em Manchester avisámos que íamos discutir o jogo e essa é exactamente a nossa posição nesta altura. A nossa confiança não aumentou porque já era grande antes do jogo de Old Trafford», resumiu o treinador do F.C. Porto na conferência de imprensa de antevisão ao duelo com os red devils.