blues

No Estádio Delle Alpi apenas dois portugueses começaram a partida. Tiago esteve no meio-campo da vecchia signora e Bosingwa foi aposta de Guus Hiddink para o lugar de lateral direito.

A Juventus, em desvantagem na eliminatória, entrou muito forte e conseguiu mesmo marcar aos 19 minutos, já depois de ter perdido Pavel Nedved por lesão. Vincenzi Iaquinta tabelou com David Trezeguet e concluiu da melhor forma diante de Petr Cech.

Pontos de interrogação sobre a eliminatória e uma reacção à altura do Chelsea, que antes do intervalo marcou por Michael Essien. Frank Lampard rematou de longe, Gianluigi Buffon defendeu de forma incompleta e Essien fez a recarga com êxito.

Drogba dissipa as dúvidas

A etapa complementar foi ingrata para a Juventus. A formação italiana desperdiçou algumas boas oportunidades para marcar, viu Chiellini ser expulso aos 70 minutos mas, ainda assim, teve forças para se colocar novamente em vantagem. Del Piero, de grande penlidade, fez o 2-1 e colocou o Chelsea sob pressão.

Mas os blues souberam sofrer, sustiveram a última ofensiva italiana e ainda conseguiram empatar a partida a dois golos. A sete minutos do final, o rejuvenescido Didier Drogba fez o 2-2 e dissipou todas as dúvidas. O cruzamento de Belletti é muito bom e o marfinense finalizou com mestria.

Constituição das equipas:

JUVENTUS: Buffon; Grygera, Mellberg, Chiellini e Molinaro; Marchisio, Tiago e Nedved (Salihamidzic, 13); Del Piero; Iaquinta (Giovinco, 61) e Trezeguet (Amauri, 79).

CHELSEA: Cech; Bosingwa, Terry, Alex (Ricardo Carvalho, 89) e Ashley Cole; Obi Mikel, Ballack, Essien (Belletti, 66) e Lampard; Drogba e Anelka.

Golos: Iaquinta (19), Essien (45), Del Piero (74, g.p.) e Drogba (83).