Do reforço de verão Saidy Janko ao marginalizado Alberto Bueno, são vários os jogadores contratualmente ligados ao FC Porto e que não fazem parte das opções de Sérgio Conceição para a época 2018/19.

O que fazer com todos eles? 

Casos como o de Fernando Fonseca, internacional sub-21 e presença assídua na equipa do Estoril, deverão ser mais fáceis de resolver. Em sentido contrário, Bueno - pedido expresso de Julen Lopetegui - realizou mais um empréstimo para esquecer: apenas 11 jogos ao serviço do despromovido Málaga. 

O Maisfutebol faz o levantamento destes sete dossiers, analisando à lupa os números dos atletas no último ano.

FC PORTO: ATLETAS POR COLOCAR

João Costa (guarda-redes, contrato até junho de 2020)

- Integrou o plantel principal até dezembro, seguindo depois por empréstimo para o Gil Vicente. Atuou em 13 jogos pelo clube de Barcelos. Tapado por Casillas, Vaná, Fabiano e José Sá no plantel principal colocá-lo na equipa B seria um retrocesso no percurso. Em cima da mesa está, provavelmente, nova cedência.

Fernando Fonseca (lateral direito, contrato até junho de 2020)

Situação um pouco semelhante à de João Costa. Rodou no Estoril, disputou 19 jogos na primeira Liga e ganhou maturidade. As presenças de João Pedro e Maxi no clube (Militão também pode ocupar o lado direito da defesa) retiram espaço ao internacional sub-21 português. Novo empréstimo apresenta-se como a opção mais lógica e coerente.

Saidy Janko (lateral direito, contrato até junho 2022)

- Recrutado aos franceses do Saint-Étienne neste defeso por três milhões de euros, o suíço esteve apenas 19 dias às ordens de Conceição e acabou riscado. Terá forçosamente de rodar.

Paulinho (médio, contrato até junho de 2022)

- Chegou em janeiro de 2018 ao FC Porto por empréstimo do Portimonense. Os dragões ficaram com opção de compra obrigatória, de acordo com as informações recolhidas pelo Maisfutebol junto do presidente da SAD do clube algarvio. Disputou apenas três jogos e no início desta temporada acabou dispensado. Em cima da mesa está a opção de retornar a Portimão ou rumar a outras paragens.

Mikel Agu (médio, contrato até junho 2021)

- Seria aposta de Lopetegui na época 2014/15, mas uma lesão grave roubou-lhe a oportunidade de se mostrar na equipa principal. Seguiu-se um ano na formação secundária portista, antes de três empréstimos consecutivos. Na última época apontou três golos em 24 jogos. O nigeriano tem 25 anos e já manifestou intenção de deixar o clube em definitivo. Ou volta a sair emprestado ou rescinde imediatamente.

Rui Pedro (avançado, contrato até junho 2021)

- Não aproveitou a oportunidade no Boavista - titular em quatro jogos - e regressou a casa. Realizou a pré-época com a equipa B dos dragões, o que significa que, pelo segundo ano seguido, não faz parte das escolhas de Conceição. Depois de um ano no principal escalão do futebol português, atuar na Segunda Liga poderia ser considerado um retrocesso. Clube procura nova colocação para o jogador.

Alberto Bueno (avançado, contrato até junho de 2020)

- Um dos órfãos da era-Lopetegui. Forte aposta do treinador espanhol, o avançado não encaixou em nenhuma das posições em que foi testado. Oito jogos oficiais e dois golos refletem um desempenho muito aquém. Os empréstimos a Granada, Leganés e Málaga não correram de feição. Será desta que sai em definitivo?

Artigo original: 17h54