José Mota e Jesualdo Ferreira, treinadores de Leixões e F.C. Porto, respectivamente, em declarações à RTP, a analisar o jogo entre as duas equipas, que terminou com vitória folgada dos forasteiros (1-4):

José Mota:

«A nossa estratégia passava por dar a iniciativa ao adversário, para sair rápido no contra-ataque, mas há erros que se cometem e que depois são difíceis de recuperar. Não se pode cometer uma grande penalidade daquelas. Depois, aos poucos, estávamos a tentar reagir no meio-campo. Em certas alturas conseguimos. Ao intervalo estávamos a perder com uma grande penalidade infantil. Depois houve outra situação caricata que resultou no segundo golo. O F.C.Porto sabe defender bem e explorar as saídas para o ataque. Pouco tínhamos a fazer nessa altura. Os jogadores trabalharam muito. Foram dignos e não é por esta derrota que deixo de estar orgulhoso. Foi pena aqueles dois lances, que muito cedo resolveram o jogo.»

Jesualdo Ferreira:

«Foi, acima de tudo, um jogo de alto risco. Era preciso ter uma atitude extremamente positiva e agressiva. Conseguimos isso. Fizemos um bom jogo. A dada altura tivemos momentos brilhantes. Fomos felizes na finalização. O Leixões não conseguiu encontrar forma de nos contrariar. Defensivamente estivemos bem. Foi um triunfo justo. Foi um atestado de competência.»

[sobre o jogo da Liga dos Campeões] «São competições distintas e adversários diferentes. A partir de domingo vamos começar a pensar no jogo com o Atlético de Madrid. Vamos pensar no que fizemos e projectar o próximo jogo. O importante era consolidar a liderança e amealhar mais uma vitória para a nossa série.»

[questionado sobre o seu futuro] «Os adeptos do porto podem estar sossegados e tranquilos pois esta equipa vai lutar até ao fim.»