Apesar da medida receber consenso também da FIFPro, organização que engloba os sindicatos de jogadores, qualquer mudança terá de ser aprovada pela União Europeia, uma vez que a idade legal para «atravessar fronteiras» são os 16 anos.

Caso a proposta seja aceite, significa que os futebolistas assinam o primeiro contrato com os clubes em que são formados.

Refira-se que a FIFA também está de acordo com a ideia de Platini.