Luisão, habitual capitão do Benfica, foi um dos protagonistas da eliminatória com o Liverpool em 2005/06, que os encarnados superaram com duas vitórias (1-0 e 2-0). Depois de ter marcado no jogo da primeira mão, na Luz, o central brasileiro esteve em destaque em Anfield, anulando as armas ofensivas do «reds». O central brasileiro contou assim as emoções vividas, num depoimento para o livro «Sport Europa e Benfica», publicado pelo Maisfutebol sobre os 50 anos do Benfica nas competições europeias:

«Acho que o jogo em casa foi o mais importante da minha carreira. O que me marcou mais foi o DVD mostrado à equipa no hotel, com imagens das nossas conquistas dos últimos anos. Ficámos com uma vontade enorme de entrar em campo. Quando marquei, perto do fim, senti uma emoção enorme, mas não ia valer de nada se não passássemos. Em Liverpool, no quarto, disse ao Geovanni que ele só precisava de jogar 45 minutos, se fizesse um golo nós segurávamos tudo lá atrás.

Sabíamos que aguentando os primeiros 20 minutos de cada parte ganhávamos. Por isso, no início tivemos a máxima atenção. Pelo tamanho, um jogador como Crouch cria muitas dificuldades, mas estávamos numa noite super. Acho que até o Léo foi maior do que o Crouch. Ao intervalo, Koeman disse-nos que para mantermos a calma e foi o que fizemos. Já antes do 2-0 tínhamos percebido que ia dar tudo certo. Ficámos impressionadíssimos com o ambiente, e mais ainda no final, quando os adeptos bateram palmas às duas equipas. É bonito ver uma equipa ser afastada da Liga dos Campeões e o estádio todo a aplaudir e cantar para os seus jogadores»