*Por Tomás Faustino

Silas, treinador do Belenenses, em declarações na sala de imprensa do Estádio da Madeira, após a vitória por 1-0 frente ao Nacional, em jogo da 17.ª jornada da Liga:

«Sabíamos que ia ser um jogo muito difícil, porque defrontámos um grande adversário que, ainda para mais, estava a jogar em casa, num campo onde o vento condiciona muito. Na primeira parte o Nacional esteve muito bem e conseguiu condicionar muito o nosso jogo. O vento ajudou-os, mas isso também aconteceu a nosso favor na segunda parte e fomos nós quem os condicionou. Eles criaram muitas dificuldades até aos vinte e cinco minutos e nós tentámos fazer uma alteração, mas os jogadores não perceberam, porque é difícil mudar algo durante o jogo. No intervalo, aí sim, explicámos exatamente o que queríamos e a partir daí conseguimos sair muitas vezes com muito perigo para a baliza adversária, mas, sinceramente, na minha opinião, o Nacional fez um jogo muito bom. Eu já sabia que ia ser muito difícil – já joguei aqui muitas vezes como jogador – e sei o que sofria quando vinha cá jogar. A segunda parte foi muito boa e acabamos por ter um bocado da sorte por termos feito o golo, porque o Nacional também o podia ter feito pelo menos uma vez na primeira parte. Portanto, um jogo difícil e renhido, em que ganhou a equipa mais eficaz, embora também tenhamos tido mais ocasiões muito claras para fazer golo.»

 [Que alteração foi essa a que se refere?]:

«Quando jogamos com um sistema destes, alternativo na medida que não há muita gente a jogar assim, chega a uma altura em que temos de começar a pensar em mudar, mesmo quando estamos a ganhar. Porque depois chegamos a um jogo destes, como o Nacional, e não conseguimos fazer dois passes seguidos por mérito do adversário, e então temos que ter a capacidade de fazer algumas alterações, mesmo mantendo os jogadores em campo. Foi isso que fizemos, tirando praticamente um avançado e colocando-o a jogar a médio, e a partir daqui conseguimos melhorar. Mas volto a dizer que foi muito mais mérito do Nacional que demérito nosso. Eles pressionaram-nos muito bem e condicionaram a nossa saída de jogo, mas na segunda parte foi diferente e conseguimos sair muitas vezes e com muita qualidade.»

[Para onde corre este Belenenses, com mais esta vitória?]

«Neste momento estamos com os mesmos pontos que o Vitória e o Moreirense, em quinto, mas isto ainda vai a meio e acho que é muito cedo e é imprevisível aquilo que vai acontecer. O Vitória, à partida, já se sabia que deveria estar por aqui, pelo investimento que fez. Agora, Belenenses e Moreirense estarem nesta fase com 28 pontos parece-me uma surpresa que ninguém esperaria, mas acho que as duas equipas têm merecido realmente o lugar que ocupam. Se nos vamos conseguir manter? É difícil. Reparem que em toda a primeira volta só perdemos com Braga, Sporting e Porto, e é difícil fazer uma segunda volta destas. Se conseguirmos, será uma época extraordinária, mas não é fácil.»