A direção do CDE apresentou o projeto num salão nobre dos Bombeiros Voluntários da Amadora totalmente cheio. «Queremos honrar o passado, relembrando o bom que o clube já nos deu e procurando esquecer aquilo que de mau se passou», afirmou o presidente da Assembleia-Geral do novo clube, Jorge da Silva, citado pela Lusa. «Queremos recuperar o mesmo equipamento tricolor e poder jogar no Estádio José Gomes (Reboleira) a nossa casa de sempre», acrescentou.

Jorge da Silva explicou que o CDE quer ser um clube formador e de comunidade, apresentando nesta fase inicial apenas uma equipa de benjamins. «O futebol sénior é o nosso objetivo máximo, mas não queremos construir a casa pelo telhado. Primeiro queremos ter um espaço para funcionar e estabilidade financeira», explicou.

A ocasião serviu também para a primeira admissão de sócios, à qual aderiram antigos sócios do Estrela da Amadora. «Vi grandes jogos e percorri muitos quilómetros para acompanhar o Estrela. Para mim o Estrela nunca morreu e por isso foi com muita emoção que soube que querem dar nova vida ao clube», afirmou Manuel Lameira, sobrinho de um dos fundadores do Estrela da Amadora, em declarações à Lusa.