Mas há mais quatro jogadores que ainda podem vir a contribuir para os cofres de Alvalade, apesar de já não terem ligação desportiva ao clube.

Sporting apresentou relatório e contas da época de Godinho Lopes: 43,8 milhões de euros de prejuízo

No acordo que ditou a saída de Bruma para o Galatasaray ficou definido que o Sporting terá direito a 25 por cento de uma eventual mais-valia numa futura transferência. Uma situação que já se tinha verificado com as vendas de João Moutinho (25%) e Marat Izmailov (50%) ao F.C. Porto e com outros quatro jogadores, segundo revela o último relatório e contras apresentado pelo clube de Alvalade.

Os valores previstos na saída de Moutinho do Dragão para o Mónaco já terão chegado a Alvalade, pelo menos no relatório e contas, relativo à temporada já aparecem como «ativo certo», embora os valores não tenham sido divulgados. Os leões também detinham dez por cento sobre uma eventual transferência de Amido Baldé que, entretanto, trocou o V. Guimarães pelos escoceses do Celtic.

Nesta lista de possíveis futuras mais-valias continuam Marat Izmailov (50%), do F.C. Porto, Alberto Zapater (15%), do Lokomotiv Moscovo, Nuno André Coelho (20%), do Sp. Braga, e Emiliano Insúa (37%), do At. Madrid.

Bruno de Carvalho vai ter salário de 5 mil euros

Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, iniciou funções, em março, sem receber salário, tendo em conta a difícil situação do clube e a necessidade de dispensar funcionários, mas essa situação pode vir a mudar já em outubro, caso a Assembleia Geral, marcada para 30 de setembro, aprove a proposta da comissão de acionistas da SAD que propõe que o presidente receba um salário mensal até cinco mil euros e que os restantes membros executivos da administração tenham um vencimento até 3.500 euros.

Segundo o comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os montantes foram propostos tendo em conta «a especificidade e complexidade da própria actividade», «o mediatismo e exposição inerente às funções», além da «tradição da sociedade, nomeadamente os salários da administração praticados no exercício anterior (360.000 euros)». Segundo o relatório e contas do exercício de 2011-12, o antigo presidente Luís Godinho Lopes não teve qualquer remuneração da SAD, mas o mesmo não se verificou em relação aos administradores. Nobre Guedes recebeu 114 mil euros, enquanto Luís Duque recebeu 246 mil euros.