Manuel Machado, treinador do Sporting, depois do empate com o Marítimo (2-2), no dérbi da Madeira, no Estádio dos Barreiros, em jogo da 12ª jornada da Liga:

[Empate nos últimos instantes, com o Nacional reduzido a dez]

- Minimizou a injustiça que ia acontecer se tal não acontecesse. O Nacional fez uma boa partida de futebol. Um primeiro tempo, que julgo, de forma contundente e clássica que se superiorizou ao adversário, só que no detalhe, quer no plano defensivo, quer no plano ofensivo cometeu algumas falhas.

[Arbitragem]

- Primeiro cozinhou duas situações para que o Marítimo conseguisse fazer um golo, porque não conseguiu fazer mais nesses 45 minutos. Aquele atraso antes de tempo do Marçal deu aquele livre perigosíssimo que o Marítimo não aproveitou e depois o choque entre o lateral e o guarda-redes que acaba por possibilitar ao Marítimo fazer o golo e vantagem.

 

[Nacional sofreu golo cedo]

- Não perturbou a equipa, o que de alguma forma denuncia de que neste momento é mesmo uma equipa, tem confiança nos seus processos, tem confiança no seu jogo, independentemente de as coisas estarem a correr melhor ou menos bem, não perturba e mantem a mesma linha de conduta. Fez um só mas podia ter chegado ao intervalo com a partida praticamente resolvida.

 

[Segunda parte]

- O segundo tempo é diferente. Tem uma série de incidências de outra ordem, menos técnicas que de alguma forma me levam aquilo que acabou por acontecer. A reacção previsível de uma equipa que está a jogar no seu terreno e que tem um resultado que não é positivo, por isso o Marítimo tentou e teve um conjunto de lances na nossa área.

 

[Expulsão de Marçal]

- Julgo que há dois momentos muito discutíveis relativamente às decisões do conjunto de árbitros. O critério disciplinar que foi aplicado, e julgo que bem, ao Marçal, não foi aplicado no primeiro tempo ao Danilo. Depois, o julgamento do lance que dá a grande penalidade ao Marítimo, penso que no plano técnico, é muito igual ao lance do primeiro tempo sobre o Djaniny, acaba por permitir que o Marítimo se pusesse em vantagem. Critérios desiguais e isso põe-nos em desvantagem.

 

[Resultado justo?]

- Mesmo com dez e com aquela tentativa “abrutalhada” do adversário chegar a mais golos, reagimos bem e fomos premiados com um empate que me parece impedir que uma grande injustiça acontecesse. Aconteceu uma injustiça mais pequenina.

 

[Nacional não ganha há muito tempo]

- Enquanto o sinal que vai atrás for de mais, eu fico sempre muito satisfeito. Apareceu um Benfica e um Porto nos seus terrenos a jogar com o Nacional e por isso são cinco jogos com três deles fora, pontuando em dois campos complicados. Em casa as coisas têm corrido menos bem, primeiro com o Olhanense, onde aos 5 minutos ficamos reduzidos com menos um jogador, e, na semana passada com o Setúbal, num jogo onde começamos a perder cedo e reagimos bem. Estamos onde queremos, muito próximos da linha da Europa. Sinto-me satisfeito e acho que estou a realizar um trabalho bastante positivo.