Maisfutebol

Casa Pia: como uma primeira vez

1
Casa Pia (Foto Facebook Casa Pia)

É a grande novidade da Liga 2022/23. Não sendo uma estreia absoluta, é como a primeira vez para um clube centenário, que só se estreou nas competições profissionais há três anos e tinha até aqui apenas uma passagem pela primeira divisão, já lá vão 83 anos. A ascensão rápida e a inexperiência neste patamar aconselham prudência na gestão das expectativas do Casa Pia. Mas o projeto do clube, assente numa estratégia de médio prazo assegurada por um investidor norte-americano, tem dado indicações consistentes. Para já, aborda a nova época com o treinador que tem liderado a caminhada de sucesso do clube e boa parte do plantel que festejou a subida na época passada. Ainda que sem um dos grandes protagonistas dessa campanha histórica, Jota Silva.

O Casa Pia fez a festa no final da terceira época na II Liga. Garantiu o segundo lugar e a promoção direta, numa campanha em que a equipa conseguiu gerir até ao fim a crescente pressão, com um grupo sólido e vários destaques individuais: teve cinco jogadores eleitos para o onze ideal da II Liga – o guarda-redes Ricardo Baptista, os defesas Vasco Fernandes e Leonardo Lelo e os avançados Saviour Godwin e Jota Silva. Até agora, só este último deixou o clube, para reforçar o V. Guimarães.

No mercado, o Casa Pia mostrou-se criterioso, tanto que alguns dos principais reforços chegaram apenas na reta final da preparação para o arranque da Liga. Como Rafael Martins, referência goleadora do despromovido Moreirense, ou o médio japonês Takahiro Kunimoto. Mais cedo chegou um dos protagonistas da época passada na II Liga, Diogo Pinto. Também ele vai estrear-se no principal escalão do futebol nacional, como muitos dos seus novos companheiros de equipa.

A campanha do Casa Pia na época passada teve como base a solidez defensiva – apenas 22 golos sofridos em 34 jornadas. Na preparação da nova temporada, os «gansos» voltaram a focar-se nesse setor. Após a saída em final de contrato de Muscat, um dos pilares do trio do eixo defensivo, o clube reforçou-se com a experiência do veterano Fernando Varela, que usava a braçadeira de capitão no PAOK depois de ter representado vários clubes em Portugal, ou de João Nunes, de volta à Liga depois de ter passado pela Polónia, Grécia e Hungria. E ainda olhou para o campeonato que melhor conhece, apostando em Léo Bolgado, um dos destaques da II Liga com a camisola do Leixões. Da Venezuela chegou ainda o lateral Edu Fereira, enquanto o médio defensivo Eteki, internacional pelos Camarões, é outra aposta interessante. O mais recente reforço a chegar foi o extremo Anderson Cordeiro, que curiosamente iniciou a pré-temporada no Santa Clara, mas acabaria por rumar a Pina Manique.

Os «gansos» querem fazer uma época tranquila para continuarem a ser um clube de Liga, antes de apontarem a voos mais altos. A caminhada começa nos Açores, na visita ao Santa Clara. E passa logo na segunda jornada pela receção ao Benfica, que será em Leiria, devido às más condições do relvado do Jamor, casa emprestada do clube enquanto o Estádio Pina Manique estiver em obras.

2
Casa Pia sobe à Liga

Classificação da época passada: 2º lugar na II Liga

Melhor classificação: 8º (na única participação anterior, em 1938/39)

Presenças na I Divisão: 1

Objetivo: Garantir a permanência

3
Filipe Martins (Casa Pia AC)

Treinador: Filipe Martins

É um dos principais rostos da ascensão do Casa Pia. O antigo defesa natural da Amadora começou a carreira de jogador no Estrela e começou por se afirmar como treinador no Real, onde venceu o Campeonato de Portugal em 2016/17. Chegou a Pina Manique em 2020, depois da atribulada época de estreia do clube nas competições profissionais, com a manutenção salva na secretaria.

Filipe Martins liderou a reconstrução da equipa, apoiada na chegada de um novo investidor, o norte-americano Robert Platek. Depois de uma temporada que terminou com o nono lugar, manteve-se ao leme e conseguiu mesmo a subida.

Eleito melhor treinador da II Liga na época passada, Filipe Martins renovou até 2024 e começa a sua terceira temporada em Pina Manique. Também será uma nova experiência para o técnico de 44 anos, que teve até agora como única passagem pela Liga meia época no banco do Feirense, em 2018/19.

4
Banco de suplentes

Clique aqui para ver o plantel completo

Entradas: Diogo Pinto (Est. Amadora), João Nunes (Puskàs Akádemia), Léo Bolgado (Leixões), Fernando Varela (PAOK), Yan Eteki (Granada), Eduardo Fereira (Caracas), Clayton (Vila Nova, empréstimo), Rafael Martins (Moreirense), Takahiro Kunimoto (Jeonbuk Motors); Anderson Cordeiro (Tsarsko Selo)

Saídas: Zack Muscat, Hebert, Rodrigo Galo, Zidane Banjaqui (Mafra), Jota Silva (V. Guimarães), João Vieira, Lucas Silva, Bozhanaj

5
Diogo Pinto (Foto Facebook Casa Pia)

Atenção a: Diogo Pinto

São vários os reforços que vale a pena seguir em Pina Manique e entre eles está Diogo Pinto, promessa de bom futebol e golos em português a alimentar expectativas depois da saída de Jota Silva. Um jogador com escola, que dividiu a formação entre Sporting e Benfica, saiu para Itália e voltou a Portugal para ser feliz. Aos 23 anos, chega à Liga e realiza, como disse à chegada a Pina Manique, «um sonho de criança».  

Natural de Tomar, Diogo Pinto começou o percurso no Sporting, onde se manteve até aos iniciados, antes de sair e passar uma temporada no U. Leiria. Depois rumou ao Benfica, para evoluir até aos seniores. Festejou um título nacional de juniores, destacou-se em 2018/19 na equipa sub-23, quando fez 37 partidas e marcou 18 golos, depois subiu à equipa B. Mas queria jogar mais e tentou a sorte no futebol italiano. Primeiro no Ascoli e depois no Potenza, teve poucas oportunidades e decidiu voltar à base. Após meia época no Vilafranquense, encontrou na Reboleira o contexto certo para crescer.

A criar espaços no meio-campo ou nas alas, Diogo Pinto aprimorou no Estrela da Amadora o potencial e a veia goleadora, numa época em que marcou 14 golos, registo notável para um jogador que não é um avançado-centro. Foi eleito para o onze ideal da II Liga na época passada e o Casa Pia não perdeu tempo a garantir uma das grandes figuras do «seu» campeonato.

6
Genéricas Maisfutebol

Equipa-tipo

Ricardo Batista

João Nunes, Varela, Zolotic

Lucas Soares, Ângelo Neto, Afonso Taira, Leonardo Lelo

Diogo Pinto, Rafael Martins, Godwin

Calendário do Casa Pia

Maisfutebol
Alemanha: o guia 25 jun, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun, 00:00
Áustria: o guia 24 jun, 14:13
França: o guia 24 jun, 00:00
Portugal: o guia 23 jun, 20:41
Suécia: o guia 23 jun, 00:00
Suíça: o guia 23 jun, 00:00
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Turquia 7 jun 2021, 00:21
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51