Maisfutebol

Portugal: as jogadoras

1
Inês Pereira (GETTY)

INÊS PEREIRA

Data de Nascimento: 26.05.1999

Posição: Guarda-redes

Clube: Servette (Suíça)

A seleção portuguesa participa no Europeu em substituição da Rússia, mas Inês diz que tinha a esperança que a troca não se concretizasse, pois isso seria sinal de que a guerra na Ucrânia já teria terminado.

Tem apenas 23 anos, mas joga pela seleção portuguesa desde 2018. Esteve cinco anos no Sporting, mas esta época mudou-se para o Servette, da Suíça. Nos primeiros tempos diz ter chorado muito, com saudades da família e dos amigos, mas teve a oportunidade de ganhar experiência na Liga dos Campeões.

Hope Solo, Iker Casillas e Oliver Kahn são as suas maiores referências. Destaca-se pelo jogo de pés, e em 2016 até jogou à frente na final da Taça de Promoção Feminina e contribuiu com um golo para a conquista do Estoril.

2
Catarina Amado (Getty)

CATARINA AMADO

Data de Nascimento: 21.07.1999

Posição: Ala direita

Clube: SL Benfica

Catarina fez história no futebol feminino português, quando marcou em Gotemburgo, frente ao BK Hacken, o golo em cima do apito final que deu ao Benfica a primeira vitória de sempre na Liga dos Campeões.

Nascida na Lousã, no centro de Portugal, teve dificuldade em separar-se da família quando saiu para jogar no Estoril. Em campo, destacou-se como extremo, mas depois de se mudar para o Benfica adaptou-se à posição de lateral direita.

3
Alícia Correia (Getty)

ALÍCIA CORREIA

Data de Nascimento: 29.04.2003

Posição: Lateral esquerda

Clube: Sporting CP

É natural do Barreiro, cidade que lançou alguns dos melhores jogadores da história da seleção portuguesa, como Fernando Chalana e José Augusto, ou ainda João Cancelo, uma das figuras atuais da seleção masculina.

Com apenas 17 anos fez a estreia pela Seleção, e é um dos nomes de futuro do futebol feminino português.

«Cheguei a fazer patinagem e atletismo, mas a minha paixão foi sempre o futebol. Considero-me uma jogadora inteligente e veloz. Sei que sou capaz de tomar boas decisões, e com rapidez», resume.

4
Sílvia Rebelo (Getty)

SÍLVIA REBELO

Data de Nascimento: 20.05.1989

Posição: Defesa Central

Clube: SL Benfica

É natural de Lagarinhos, uma localidade de aproximadamente 500 habitantes no concelho de Gouveia, ali bem junto à Serra da Estrela.

Iniciou a carreira na Fundação Laura Santos, mas não era apenas jogadora: também trabalhava na lavandaria e conduzia a carrinha da instituição.

Cumpriu o sonho de tornar-se profissional, no Sp. Braga e no Benfica, e aos 33 anos tem mais de 100 jogos por Portugal.

5
Joana Marchão (Getty)

JOANA MARCHÃO

Data de Nascimento: 24.10.1996

Posição: Lateral esquerda

Clube: Sporting CP

Natural de Abrantes, foi protagonista de uma reportagem televisiva (da RTP) quando tinha apenas 12 anos. Já se destacava a jogar, mesmo entre os rapazes, mas a partir dessa idade já não podia jogar em equipas mistas, o que colocava em causa a sua evolução, até pela falta de equipas femininas na região em que vivia. Sporting e Benfica repararam cedo no talento que ali estava, mas desistiram da contratação quando perceberam que era uma rapariga.

Já aí Joana sonhava jogar no Sporting e na Seleção Nacional, e a verdade é que acabou por conseguiu concretizar ambos os objetivos.

Antes dos jogos, por vezes já no balneário, gosta de ouvir Mozzart e ler um livro para se acalmar.

Uma das suas imagens de marca, em campo, são as chuteiras clássicas com que joga.

6
Suzane Pires (Getty)

SUZANE PIRES

Data de Nascimento: 17.08.1992

Posição: Avançada

Clube: Ferroviária (Brazil)

Em setembro passado, Suzane regressou à seleção portuguesa após quatro anos de ausência e foi homenageada pelas rivais da seleção turca, pelo seu inspirador exemplo como jogadora e mãe. Nascida no Brasil, ela estava nos EUA com uma bolsa de estudos quando a seleção portuguesa a chamou pela primeira vez, em 2015. O seu marido, Gauther, é guarda-redes e o casal mudou-se para Portugal para jogar na Madeira, onde Suzane descobriu que estava grávida.

Depois de o bebé nascer, ela teve dificuldade em encontrar uma nova equipa. De volta ao Brasil, acabou por conseguir equilibrar futebol e maternidade, embora seja sempre difícil quando tem de estar longe de filho, Gautinho. Foi convocada para o Europeu depois da baixa por lesão de Andreia Jacinto.

 

7
Vanessa Marques (getty)

VANESSA MARQUES

Data de Nascimento: 12.04.1996

Posição: Médio

Clube: Sp. Braga

Nasceu em Lyon e tem a ambição de jogar no clube francês, um dos mais fortes do futebol feminino. Pode jogar tanto no meio-campo como no ataque, e as colegas da Seleção dizem que é a «princesinha» da equipa.

Regressou esta época ao Sp. Braga, após uma época no Ferencvaros, da Hungria.

8
Andreia Norton (getty)

ANDREIA NORTON

Data de Nascimento: 15.08.1996

Posição: Médio Centro

Clube: Sp. Braga

Filha de um antigo jogador brasileiro que passou por Portugal (Pingo), cresceu a jogar descalça nas ruas de Ovar. Fez a estreia na primeira divisão com apenas 13 anos, e aos 19 assinou pelo Barcelona, mas foi operada aos dois joelhos e não chegou a jogar com a camisola «blaugrana».

Foi a autora do golo que qualificou Portugal para a primeira fase final (Euro 2017), e por isso já tem um lugar na história do futebol português.

9
Ana Borges (getty)

ANA BORGES

Data de Nascimento: 15.06.1991

Posição: Lateral/Ala

Clube: Sporting CP

Quando foi convidada para ir treinar ao primeiro clube (Fundação Laura Santos), apareceu para jogar de calças de ganga e sapatilhas normais.

Entre os 18 e os 26 anos jogou no estrangeiro - em Espanha, Estados Unidos e Inglaterra -, mas desde 2017 que está no Sporting.

Tem várias tatuagens, algumas relativas a datas importantes da carreira, como o dia em que fez a assistência para o golo que qualificou Portugal para a primeira participação no Campeonato da Europa. A data, em numeração romana, está acompanhada pela palavra «Faith» (fé, em inglês).

10
Jéssica Silva (getty)

JÉSSICA SILVA

Data de Nascimento: 11.12.1994

Posição: Avançada / Extremo

Clube: SL Benfica

Quando era criança jogava futebol com laranjas, no quintal da avó. O pai, Valter Silva, foi futebolista, mas morreu antes de Jéssica Silva tornar-se uma das figuras da seleção portuguesa.

Já jogou na Suécia, em Espanha, nos Estados Unidos e em França. Com a camisola do Lyon tornou-se a primeira portuguesa a vencer a Liga dos Campeões.

Falhou a primeira presença de Portugal num Campeonato da Europa, devido a uma lesão sofrida poucos dias antes do torneio, e teve de contentar-se com uma participação como comentadora televisiva, e acabou a chorar com o golo que garantiu a primeira vitória em fases finais.

Jéssica, que tem Cristiano Ronaldo como inspiração máxima, já se tornou viral nas redes sociais com várias fintas dignas do melhor jogador português de todos os tempos.

11
TATIANA PINTO (GETTY)

TATIANA PINTO

Data de Nascimento: 28.03.1994

Posição: Médio

Clube: Levante (Espanha)

Teimava com a mãe que ia ser jogadora de futebol, mas perdeu a progenitora quando tinha apenas 16 anos. Pouco tempo depois foi chamada pela primeira vez à Seleção Nacional. Os pais tinham anteriormente emigrado para França, mas Tatiana ficou em Portugal, e foi agarrada ao futebol que fez o luto.

Já jogou na Alemanha e em Inglaterra, e na última época esteve no Levante, de Espanha.

Não tem propriamente um número preferido para a camisola, mas diz que só gosta de usar números ímpares.

12
Patrícia Morais (Getty)

PATRÍCIA MORAIS

Data de Nascimento: 17.06.1992

Posição: Guarda-redes

Clube: Sp. Braga

Quando foi chamada pela primeira vez à seleção, no escalão sub-19, ainda não estava muito convencida de que ia ser guarda-redes, mas foi avisada que só tinha lugar nessa posição, e lá teve de mentalizar-se de que ia fazer carreira na baliza.

Não sabe nadar, mas diz que preferia ser largada no meio do Oceano Atlântico do que perder uma final do Campeonato do Mundo com Portugal.

Leva mais de uma década a defender a baliza de Portugal, ainda que nem sempre de forma incontestada, mas chega ao Europeu com o estatuto de melhor guarda-redes da Liga portuguesa em 2021/22.

13
Fátima Pinto (getty)

FÁTIMA PINTO

Data de Nascimento: 16.01.1996

Posição: Médio

Clube: Sporting CP

Natural da Madeira, como Cristiano Ronaldo, fez parte da seleção de sub-19 que protagonizou a primeira participação portuguesa numa fase final de um Europeu feminino.

A Madeira não participou no torneio inter-associações desse ano, mas o selecionador nacional, José Paisana, foi ao Funchal ver Fátima jogar pelo GD APEL, e acabou por convocá-la para um estágio. A prestação foi tão categórica que Fátima acabou por ser convocada para o Europeu, que ia começar poucos dias depois.

Em junho de 2020 foi operada a um tumor benigno que a fez perder totalmente a audição do ouvido direito.

Licenciada em Turismo, quer voltar à Madeira quando acabar a carreira de futebolista e tornar-se guia. Apaixonada por surf, diz que «já seria feliz a viver numa barraquinha de praia».

14
Dolores Silva (getty)

DOLORES SILVA

Data de Nascimento: 07.08.1991

Posição: Médio

Clube: Sp. Braga

Paulo Futre é um rei no Atlético de Madrid, mas não conseguiu ser campeão espanhol com a camisola «colchonera», algo de que Dolores se pode orgulhar.

Foi eleita a melhor jogadora em campo quando Portugal conseguiu a primeira vitória num Europeu, frente à Escócia, e entregou o prémio ao pai, que sempre a apoiou na carreira.

«Eu queria mesmo muito que o meu pai me fosse ver no Europeu. Ajudei-o com a despesa dos voos, em tudo mesmo para lá estar. Era um sonho para mim ele estar lá, era a minha primeira vez num Europeu. Depois, foi a cereja no topo do bolo porque ganhámos à Escócia e eu fui eleita a melhor jogadora em campo. Mal vi o meu pai, dei-lhe logo o prémio e disse-lhe: ‘isto é teu por tudo o que fizeste por mim’. Foi um momento muito especial.»

Fez quase toda a carreira com o número 14 nas costas.

15
Carole Costa (Getty)

CAROLE COSTA

Data de Nascimento: 03.05.1990

Posição: Defesa Central

Clube: SL Benfica

Embora tímida, é um dos pilares da seleção nacional, que representa desde 2008. Jogou sete anos na Alemanha, o que contribuiu muito para a sua evolução enquanto jogadora. Regressou a Portugal para jogar no Sporting, mas ao fim de três anos assinou pelo rival Benfica.

Foi eleita a melhor jogadora da Liga portuguesa em 2021/22, e antes do Europeu ainda renovou contrato com o Benfica.

16
Diana Silva (getty)

DIANA SILVA

Data de Nascimento: 04.06.1995

Posição: Avançada/Extremo

Clube: Sporting CP

Tem quatro irmãos, todos rapazes, mas foi ela a vingar no futebol.

Aos 13 anos já jogava pela equipa principal do clube da terra natal, o Atlético Ouriense, pelo qual conquistou dois títulos nacionais. Mais tarde começou a tirar o curso de Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, o que obrigava a fazer longas viagens por dia, de comboio, entre estudos e treinos. Acabou o curso já em Lisboa, depois de assinar pelo Sporting, depois de uma passagem pelo Albergaria.

Em 2020/21 representou o Aston Villa, mas ao fim de um ano regressou a Alvalade.

17
Lúcia Alves (getty)

LÚCIA ALVES

Data de Nascimento: 22.10.1997

Posição: Lateral esquerdo

Clube: SL Benfica

Em criança, Lúcia jogou em equipas mistas, e mudou-se para o futsal antes de se juntar à recém-formada equipa de futebol feminino da sua cidade natal, Paredes. A primeira experiência na primeira divisão foi no Valadares, antes de se mudar para o Benfica. Costumava jogar mais na frente, mas agora é uma lateral-esquerda aguerrida e focada. Eleita Melhor em Campo após o empate com o Bayern de Munique na Liga dos Campeões desta temporada, estreou-se na seleção pouco depois.

18
Carolina Mendes (getty)

CAROLINA MENDES

Data de Nascimento: 27.11.1987

Posição: Avançada

Clube: Sp. Braga

Filha de um treinador de hóquei em patins, praticou esta modalidade até aos 20 anos, e chegou a ser chamada às seleções nacionais.

Só começou a jogar futebol aos 16 anos, mas em pouco tempo chegou às seleções jovens de Portugal. Internacional AA desde 2006, soma mais de 100 internacionalizações.

Marcou não só o primeiro golo de Portugal em fases finais de Campeonatos da Europa, como apontou dois dos três golos da equipa das quinas na primeira participação, em 2017.

Jogou em Espanha, Itália, Rússia, Suécia e Islândia, mas nunca perdeu o sotaque alentejano. Adora viajar, e até criou um blog para relatar as experiências vividas.

Uma lesão colocou em dúvida a participação no Europeu, mas conseguiu recuperar a tempo de integrar a lista de Francisco Neto.

19
Diana Gomes (foto: Diogo Pinto/FPF)

DIANA GOMES

Data de Nascimento: 26.07.1998

Posição: Defesa Central

Clube: Sp. Braga

Habituada a jogar futebol com dois irmãos mais velhos, na varanda de casa, um dia foi convidada para ir jogar para um clube local.

«Quando era criança lembro-me de fazer fintas sem nenhum obstáculo, de me atirar para chão e simular faltas, ao mesmo tempo que relatava o que ia fazendo. A minha mãe achava que eu era maluca, mas eu respondia que ia ser jogadora de futebol».

A sua imagem de marca são as duas longas tranças que faz no cabelo para jogar.

 

(foto: Diogo Pinto / FPF)

20
Kika Nazareth (Getty)

FRANCISCA (KIKA) NAZARETH

Data de Nascimento: 17.11.2002

Posição: Médio/Avançada

Clube: SL Benfica

Francisca tem apenas 19 anos, mas é vista há muito como uma das grandes promessas do futebol feminino português. Jogadora especialmente habilidosa e versátil, ela pode jogar em qualquer lugar na frente e também marca belos golos. Começou por jogar futsal com rapazes, antes de passar para equipas femininas. Aos 16 anos chegou à equipa principal do Benfica e um ano mais tarde estreou-se na Seleção Nacional, depois de se ter destacado nas seleções jovens e ter feito parte da equipa que chegou às meias-finais do Europeu de sub-17 em 2019.

É também a primeira jogadora representada pelo agente português Jorge Mendes

21
Andreia Faria (getty)

ANDREIA FARIA

Data de Nascimento: 19.04.2000

Posição: Médio

Clube: SL Benfica

Andreia sempre conciliou futebol e escola, correndo dos treinos para a universidade, onde está a tirar o mestrado em Finanças, mantendo-se focada nos estudos enquanto se destaca no Benfica e na Seleção.

Em criança, era a única menina que gostava de jogar futebol na sua aldeia, em Trás os Montes. Jogou em equipas de rapazes até aos 17 anos e já era presença regular nas seleções regionais e nacionais jovens quando chegou ao Benfica, em 2018, fazendo parte da primeira equipa feminina de sempre do clube.

Na Seleção, chegou a jogar ao lado de Cláudia Neto, referência de infância.

22
Rute Costa (Getty)

RUTE COSTA

Data de Nascimento: 01.06.1994

Posição: Guarda-redes

Clube: Famalicão

Rute jogou voleibol até os 16 anos. Escolheu então o futebol e foi para a baliza por acidente, porque não havia guarda-redes disponível. Também representou a seleção portuguesa de futebol de praia. Depois de quatro anos em Braga, onde venceu todas as competições nacionais, Rute joga agora no Famalicão. Natural de Barcelos, nunca se afastou da região do Minho. Há cinco anos, foi uma das guarda-redes convocadas para a primeira presença portuguesa no Campeonato da Europa.

23
Telma Encarnação (Getty)

TELMA ENCARNAÇÃO

Data de Nascimento: 11.10.2001

Posição: Avançada

Clube: CS Marítimo

Há quem lhe chame Ronalda, por ser uma goleadora nascida na Madeira, num ambiente difícil. Cristiano Ronaldo é mesmo o modelo de Telma, desde que ela era uma menina em Câmara de Lobos, a inventar formas criativas de conseguir bolas para jogar. Às vezes, embrulhava folhas de papel de cadernos escolares antigos em fita adesiva e também treinava com uma velha bola de basquetebol contra uma parede. Uma bola tão dura que ajudou a desenvolver o seu remate poderoso, diz.

Quando assinou o primeiro contrato com o Marítimo, preferiu receber em bens alimentares, para ajudar a família. Ainda a jogar na sua terra natal, Telma foi eleita melhor jogadora do campeonato português em 2020/21.

 

Textos de Nuno Travassos e Berta Rodrigues - Maisfutebol.

Maisfutebol
Alemanha: o guia 25 jun, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun, 00:00
Áustria: o guia 24 jun, 14:13
França: o guia 24 jun, 00:00
Portugal: o guia 23 jun, 20:41
Suécia: o guia 23 jun, 00:00
Suíça: o guia 23 jun, 00:00
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Turquia 7 jun 2021, 00:21
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51