Maisfutebol

Os João Felix do futebol português

1
Sporting-Benfica

João Félix

O primeiro João Félix é… João Félix. O próprio, claro. O miúdo é a figura do momento no Benfica. A equipa ganhou uma vida nova com a entrada de Lage, mas João Félix é o principal rosto da mudança. Até ao momento, o jogador de 19 anos tem 27 jogos, 10 golos e um incontável número de detalhes que têm deliciado os adeptos. A empatia pelo jogador natural de Viseu é tanta que até passa ao lado o detalhe de ter sido «roubado» a um rival. Mas a verdade é essa: João Félix chegou ao Benfica após sete anos na formação dos dragões, depois de se ter iniciado na escola d’ Os Pestinhas. A história de águia ao peito começou a ser escrita quando Félix tinha 15 anos e poucos acreditam que se prolongue por muito tempo, tal a qualidade mostrada e que já o colocou no radar dos maiores clubes europeus. Pouco depois ter chegado ao Benfica, tornou-se no mais jovem de sempre a jogar na equipa B das águias; meses volvidos, no jogador mais novo de sempre a marcar na II Liga; já esta época, estreou-se a marcar com a camisola da equipa principal, no dérbi com o Sporting; e no dérbi da segunda volta brilhou a grande nível no triunfo em casa dos leões.

Onde vai parar é a pergunta que ninguém consegue responder.

2
FC Porto-Vitória Guimarães (Lusa)

Danilo

Se as trocas de jogadores entre Benfica e FC Porto já são um Clássico à parte, nem precisamos de sair do atual plantel dos dragões para encontrar o reverso da medalha de João Félix. Danilo, campeão europeu por Portugal, fez parte da formação no Benfica. O médio chegou à formação das águias aos 17 anos, depois de se ter iniciado no Arsenal 72 e ter passado ainda pelo Estoril. Ficou apenas dois anos no Seixal, tendo saído para o Parma, depois de se ter sagrado vice-campeão do Mundo de sub-20, em 2011. Em 2013, seria o Marítimo a resgatar o jogador – que foi cedido pelos italianos ao Aris Salónica (Grécia) e ao Roda (Holanda) - e a permitir-lhe a estreia na Liga. Danilo permaneceu duas épocas na Madeira, chegou a capitão de equipa, mas saiu depois para o FC Porto, clube no qual cumpre a quarta época, e já conquistou um campeonato e uma Supertaça.

Hoje é um dos capitães da equipa de Sérgio Conceição e figura de proa do FC Porto.

3
André Gomes

André Gomes

O médio que joga atualmente no Everton por empréstimo do Barcelona, e que é um dos jogadores formados no Seixal que mais dinheiro rendeu aos cofres do Benfica, é outro que iniciou a formação no FC Porto. Chegou às escolinhas dos dragões ainda miúdo, com 9 anos, começou então a dar os primeiros pontapés na bola e foi por lá que se manteve até aos 14. Daí seguiu-se uma época no Pasteleira e duas no Boavista, antes de chegar ao Benfica. Nas águias, depois de um ano na equipa de juniores, André Gomes fez alguns jogos na equipa B e saltou logo para a principal. No ano seguinte, continuou a alternar a entre a equipa A e a secundária, saindo do Benfica para o Valência com uma Liga, uma Taça de Portugal e uma Taça da Liga no currículo. Foi ainda o único dos jogadores analisados pelo Maisfutebol a marcar à equipa onde fez a formação pelo rival: aconteceu numa meia-final da Taça de Portugal, na Luz, em 2014, e o golo valeu o apuramento para a final.

4
José Sá

José Sá

O guarda-redes natural de Braga, e que joga atualmente no Olympiakos por empréstimo do FC Porto, cumpriu duas épocas na formação do Benfica, no escalão de juniores, depois de ter representado o Palmeiras FC e o Merelinense. Ainda como júnior, José Sá mudou-se para o Marítimo, clube ao qual o FC Porto o contratou em 2016. A época de maior destaque do guardião com a camisola azul e branca foi a última, quando sentou Casillas no banco e fez parte da caminhada da equipa para o título como titular. No início deste ano, porém, e depois de ter voltado a perder a titularidade para o espanhol, saiu rumo à equipa do Pireu, na qual tem sido aposta recorrente do treinador português Pedro Martins.

5
Nuno Santos

Nuno Santos

O extremo, que está desde a época passada no Rio Ave, chegou à formação do FC Porto com dez anos, depois de dois anos no Trofense. Após oito épocas nas camadas jovens dos dragões, foi precisamente no clube de Vila do Conde que se relançou, numa época como júnior em que brilhou ao ponto de o Benfica ter avançado para a sua contratação. À semelhança de André Gomes, passou também apenas uma época como júnior e uma na equipa B. Na segunda delas, em 2015-2016, integrou o plantel de Rui Vitória e fez dois jogos na equipa principal, que lhe valeram a conquista do título de campeão nacional.

6
Miguel Lopes [Foto: Lyon]

Miguel Lopes

Com os anos de formação divididos entre Oriental, Olivais e Moscavide e Alverca, Miguel Lopes chegou ao Benfica aos 19 anos e apenas cumpriu uma época de águia ao peito, na equipa B. Acabou a formação de águia ao peito, portanto. Depois disso, seguiu-se um ano no Algarve, antes de rumar a norte, para começar a brilhar em Vila do Conde. Após duas épocas em bom nível no Rio Ave, o lateral chegou ao FC Porto e em três épocas pelos azuis e brancos conquistou cinco títulos: um campeonato, uma Taça de Portugal e três Supertaças.

Tudo isto, num total de 28 jogos com a camisola do FC Porto.

7
Steven Vitória e Slavchev

Steven Vitória

Nascido em Toronto, Canadá, o FC Porto foi a primeira equipa que Steven Vitória representou em Portugal. O defesa-central chegou com 19 anos e integrou a equipa de juniores dos dragões durante um ano, ao qual se seguiram quatro empréstimos. Findo o contrato com o FC Porto, Vitória assinou pelo Estoril, clube que representou durante três épocas, antes de chegar ao Benfica. No clube da Luz não teve muitas oportunidades, mas os cinco jogos que fez pela equipa principal foram suficientes para a conquista de três títulos: uma Liga, uma Taça de Portugal e uma Taça da Liga.

8
Fábio Faria

Fábio Faria

Nascido em Vila do Conde, o defesa central que se retirou em 2013, aos 23 anos, devido a problemas cardíacos, chegou ao FC Porto com 13 anos e manteve-se no clube durante três épocas. Seguiu-se o Rio Ave, clube no qual completou a formação e se iniciou no futebol profissional, chamando a atenção do Benfica. Aos 20 anos, o clube das águias contratou-o, mas o jogador apenas viria a fazer um jogo com a camisola encarnada, antes de sucessivos empréstimos ao Valladolid, P. Ferreira e Rio Ave, terminando a carreira precocemente precisamente em Vila do Conde.

O jogo que fez pelo Benfica, contudo, valeu a inscrição do seu nome na conquista de uma Taça da Liga.

9
Cândido Costa

Cândido Costa

Em jovem, Cândido Costa brilhou com as cores da Sanjoanense, ao ponto de ter sido chamado à seleção quando ainda representava o clube da terra natal. Com as cores da equipa nacional chamou a atenção do Benfica, que não hesitou em contratar o talentoso avançado. Durante dois anos, representou o Benfica, clube no qual o tratavam por «portista». Foi o próprio quem o confessou numa entrevista à Tribuna Expresso, na qual deixou rasgados elogios à forma como foi tratado no clube da Luz. Contudo, no primeiro ano de sénior regressou a norte, rumo ao Salgueiros, já com a possibilidade de ingressar no clube do coração. Um ano no clube de Paranhos foi suficiente para cumprir o sonho de jogar no FC Porto.

Pela equipa principal dos dragões, em três épocas, conquistou um campeonato, duas Taças de Portugal e uma Taça UEFA.