Maisfutebol

Irlanda do Norte: as jogadoras

1
Jackie Burns (Getty)

JACKIE BURNS

Data de Nascimento: 06.03.1997

Posição: Guarda-redes

Clube: BK Hacken (Suécia)

Em adolescente, Burns era uma desportista polivalente. Antes de se estrear pela seleção de futebol da Irlanda do Norte aos 16 anos, ela já era internacional a jogar netball e hóquei – além de ser também uma talentosa lançadora do dardo. Começou a jogar futebol aos oito anos e a sua futura companheira de seleção Simone Magill, apesar de ser apenas três anos mais velha, foi uma grande inspiração para ela, que jogou no mesmo clube, o Mid Ulster Ladies, antes de se mudar ainda adolescente para o Everton.

Burns formou-se em fisiologia do exercício na Universidade Carson Newman, no Tennessee, onde também ganhou troféus coletivos e individuais no campo de futebol. Para lá do desporto, o talento dela é conseguir terminar o Cubo de Rubik.

2
Rebecca McKenna (Getty)

REBECCA MCKENNA

Data de Nascimento: 13.04.2001

Posição: Defesa/Médio

Clube: Lewes

Foram as exibições pelas Linfield Ladies que ajudaram McKenna, oriunda de Bangor, a realizar o sonho de jogar futebol a tempo inteiro, mudando-se para o Lewes, do FA Women’s Championship, segundo escalão do futebol inglês. Mas na verdade ela despontou a nível sénior nas rivais de Belfast, as Glentoran Women, antes de se mudar para o outro lado da cidade em 2017.

Em 2020 brilhou frente ao gigante belga Anderlecht na Liga dos Campeões e isso levou Kenny Shiels a apostar nela para o crucial play-off com a Ucrânia de acesso ao Europeu de 2022. Ela retribuiu com duas exibições notáveis, que também foram muito importantes para lhe garantir a mudança para o Lewes. Como a companheira de equipa Ashley Hutton, ela estudou na Bangor Academy, que conta igualmente com Keith Gillespie entre os seus antigos alunos.

3
Demi Vance (Getty)

DEMI VANCE

Data de Nascimento: 02.05.1991

Posição: Defesa/Médio

Clube: Rangers 

Vance teve um percurso muito variado ao longo da carreira. Começou por jogar em equipas de rapazes, antes de se juntar ainda adolescente às Glentoran Women. Seguiu-se a universidade em Chicago e depois três anos na Austrália. É uma das jogadoras da seleção com mais troféus, tendo vencido cinco campeonatos e sete taças da Irlanda entre 19 medalhas ganhas com o Glentoran, além de ter conquistado também liga e taça na Austrália com o Redbacks, clube de Perth.

Deixou o seu emprego como personal trainer para assinar pelas Rangers Women em 2019 e depois de recuperar de uma lesão no ligamento cruzado contraída mesmo no final da campanha de qualificação para o Euro 2022 – uma lesão que a afastou dos play-offs – fez parte da equipa que em 2022 venceu pela primeira vez a Premier League feminina escocesa. 

4
Sarah McFadden (Getty)

SARAH MCFADDEN

Data de Nascimento: 23.05.1987

Posição: Defesa/Médio

Clube: Durham 

Em criança, McFadden convenceu o pai a comprar-lhe as primeiras botas de futebol porque o irmão ia ter umas também, mas disseram-lhe que ela não podia jogar na equipa de futebol da escola porque as raparigas não podiam entrar. Essa é parte da razão para ela ter começado a jogar netball, evoluindo até se tornar internacional pela Irlanda do Norte. Mas quando cresceu e teve de escolher qual o desporto a prosseguir, a escolha dela foi o futebol.

Além de jogar nas Durham Women, ela é professora num colégio de educação complementar em Newcastle, bem como mãe de Harper, de quatro anos. Uma de várias jogadoras da seleção que frequentaram a Universidade de Southern Mississippi, ela jogou em três equipas diferentes em passagens pela Islândia, antes de assentar em Inglaterra e superar uma lesão dos ligamentos cruzados para regressar à seleção.

5
Julie Nelson (Getty)

JULIE NELSON

Data de Nascimento: 04.06.1985

Posição: Defesa

Clube: Crusaders Strikers

Os primeiros passos desportivos de Nelson – influenciada pelo pai, William – foram no campo de râguebi. Depois ela começou a jogar futebol, inicialmente como guarda-redes, muito antes de se tornar uma defesa internacional que fez história. Formada na Universidade Carson Newman, no Tennessee, além dos seus dias de estudante nos EUA ela jogou em quatro países diferentes – Islândia, Inglaterra, Escócia e Irlanda do Norte – vencendo títulos em dois deles e jogando na Liga dos Campeões com o Glasgow City.

Também jogou hóquei pelo Ulster e pela Irlanda nas camadas jovens. Apesar de uma lesão no ligamento cruzado no início da sua carreira internacional, tornou-se em 2018 a primeira jogadora a atingir as 100 internacionalizações pela Irlanda do Norte. O atual capitão da equipa masculina, Steven Davis, é o único jogador com mais presenças do que ela nas seleções. Foi-lhe atribuída a Medalha do Império Britânico em junho de 2021 e as outras jogadoras reconhecem-lhe um conhecimento enciclopédico sobre a história da seleção.

 

6
Ashley Hutton (Getty)

ASHLEY HUTTON

Data de Nascimento: 02.11.1987

Posição: Defesa

Clube: Linfield 

Inspirada por um pai futebolista, que jogou até perto do nível de topo na Irlanda do Norte, a carreira de jogadora de Hutton levou-a da sua cidade natal de Bangor até Inglaterra, à América e à Islândia – onde várias atuais e antigas internacionais norte-irlandesas também jogaram. Ela andou na mesma escola que o internacional Keith Gillespie tinha frequentado uns anos antes e foi lá que jogou hóquei e netball antes de passar por um período no Arsenal, ainda adolescente.

Em setembro de 2019 tornou-se apenas a segunda mulher a somar 100 internacionalizações pela Irlanda do Norte, e assinalou a ocasião marcando nos últimos minutos o golo do empate a 2-2 frente a Gales. Esse golo viria a ser crucial, uma vez que o ponto ganho e os dois golos marcados fora deixaram a Irlanda do Norte em vantagem sobre Gales no confronto direto e garantiram a presença no play-off para o Euro 2022. Recentemente enfrentou a recuperação de uma operação ao ligamento cruzado.

 

7
Chloe McCarron (Getty)

CHLOE MCCARRON

Data de Nascimento: 22.12.1997

Posição: Médio

Clube: Glentoran

Depois de começar a jogar futebol aos sete anos, o potencial de McCarron foi detetado cedo e ela chegou às seleções antes sequer de jogar numa equipa feminina, quando foi chamada, aos 13 anos, para representar a Irlanda do Norte em sub-15. Apesar de ter continuado a somar internacionalizações nas sub-17 e sub-19, houve um intervalo de quatro anos até às suas primeiras presenças na seleção principal em jogos particulares e à estreia oficial em 2019, no arranque da campanha de qualificação para o Europeu.

Menos de um ano mais tarde tornou-se a primeira jogadora a transferir-se a nível sénior de um clube da Irlanda do Norte para a Premier League inglesa, quando trocou o Lienfield pelo Birmingham City em agosto de 2020. Lamentavelmente, a experiência durou pouco tempo, uma vez que ela foi dispensada ao fim de nove meses e voltou ao Glentoran, onde ganhou novo campeonato em 2021. É uma grande amante de café e bebe regularmente uma chávena antes do treino ou de um jogo.

8
Marissa Callaghan (Getty)

MARISSA CALLAGHAN

Data de Nascimento: 02.09.1985

Posição: Médio

Clube: Cliftonville 

Callaghan atribui o seu interesse por futebol à amiga de infância Roseanne, que ela viu a jogar na rua depois de se mudar para um bairro novo quando tinha sete anos. Depois de jogar num clube de formação ela representou o Newington, na zona norte de Belfast, antes de rumar ao Cliftonville, onde está há 20 anos. Pelo caminho teve uma passagem pela universidade nos EUA e quase abandonou o futebol por completo quando regressou.

Depois de representar a Irlanda do Norte nas sub-19, Callaghan só começou a levar o futebol de seleção a sério após uma conversa com o antigo selecionador Alfie Wylie, que a levou a perceber que podia arrepender-se se não se comprometesse por inteiro. Ela também trabalha na Federação norte-irlandesa, como Oficial de Participação Feminina. O seu nome do meio é James, por causa de um tio do lado materno da família.

9
Simone Magill (Getty)

SIMONE MAGILL

Data de Nascimento: 01.11.1994

Posição: Avançada

Clube: Sem clube

Magill fez história com apenas 18 anos, quando se tornou a primeira jogadora da Irlanda do Norte a assinar um contrato profissional, ao transferir-se para o Everton. Nos meses anteriores à mudança ela conciliou visitas a Merseyside com os estudos finais do secundário, muitas vezes voando de volta à segunda-feira de manhã para correr para a escola.

Em junho de 2016 ela estabeleceu um novo recorde mundial, tornando-se a mais rápida jogadora de sempre a marcar um golo no futebol feminino de seleções, ao abrir o marcador ao fim de apenas 11 segundos num jogo de qualificação para o Europeu frente à Geórgia.

Desde os seus vinte anos, ela é embaixadora do Northern Ireland Children's Hospice e já participou em muitas atividades de angariações de fundo para a instituição de solidariedade. Enquanto jogava pelo Everton, ela ganhou um diploma de honra em Educação de Treinadores na Universidade de Edge Hill e está agora a fazer um doutoramento. Nesta altura é uma jogadora livre, depois de ter deixado o Everton no final do contrato.

 

10
Rachel Furness (Getty)

RACHEL FURNESS

Data de Nascimento: 19.06.1988

Posição: Médio/Avançada

Clube: Liverpool

Se as coisas tivessem corrido de modo diferente na sua adolescência, Furness podia estar agora a defrontar a Irlanda do Norte, em vez de vestir a camisola verde. Nascida em Newcastle, ela não foi considerada pelas Lionesses quando jovem porque na altura não estava numa academia reconhecida. Ficou a ganhar a Irlanda do Norte e, desde a sua estreia com apenas 17 anos, já em 2005, ela tornou-se a recordista de golos da seleção. Ela é elegível para a Irlanda do Norte através da mãe, nascida em Belfast, e nas celebrações de golos homenageia o avô – que infelizmente faleceu antes de ela ganhar a primeira internacionalização.

Como McFadden e Hutton, ela também teve uma passagem pela Islândia, onde trabalhou numa fábrica de peixe e na autarquia local enquanto era jogadora em part-time, antes de assinar contratos profissionais com o Reading, Tottenham e agora Liverpool.

 

11
Kirsty McGuinness (Getty)

KIRSTY MCGUINNESS

Data de Nascimento: 04.11.1994

Posição: Extremo

Clube: Cliftonville

O sucesso desportivo de McGuiness não se limita ao futebol. Ela ganhou medalhas no Campeonato de Condados de Futebol Gaélico com o St Paul’s, clube da zona ocidental de Belfast, bem como o título intermédio de clubes do Ulster e uma medalha no All-Ireland de juniores com o Antrim, há uma década. Ela formou-se no St Oliver Plunkett, o mesmo clube que produziu os internacionais Jim Magilton, Anton Rogan e Philip Mulryne, antes de alcançar sucesso com o Glentoran e o Linfield, que capitaneou na conquista do campeonato da Irlanda do Norte em 2019.

Tinha apenas 15 anos quando se estreou pela seleção principal e depois de uma pausa agendou perfeitamente o regresso para os jogos finais de qualificação para o Euro 2022, jogando ao lado da irmã Caitlin e fazendo história quando ambas marcaram no último jogo da fase de grupos, frente às Ilhas Faroé.

 

12
Becky Flaherty (Getty)

BECKY FLAHERTY

Data de Nascimento: 06.03.1988

Posição: Guarda-redes

Clube: Brighouse Town

Nascida na Escócia, Flaherty cresceu perto de Aberdeen e representou as seleções escocesas de sub-17 e sub-19. Neste escalão, até defrontou a Irlanda do Norte na fase final do Europeu de 2017, antes de o antigo selecionador Alfie Wylie a convencer a juntar-se ao Green and White Army. Ela é elegível por intermédio dos pais da sua mãe, que nasceram no condado de Antrim e no condado de Londonderry.

Formou-se em Ciência e Futebol pela Universidade John Moores de Liverpool, enquanto jogava tanto pelo Everton como pelo Liverpool. Em adolescente, Flaherty foi uma golfista muito talentosa, com um handicap 12 quando venceu o campeonato escocês sub-15, mas agora raramente joga. Também jogou badmington de competição, tendo sido oitava no ranking sub-15 escocês em singulares e quarta em pares.

13
Kelsie Burrows (Getty)

KELSIE BURROWS

Data de Nascimento: 22.02.2001

Posição: Defesa

Clube: Cliftonville

O talento de Burrows foi detetado cedo e ela estreou-se nas seniores do Linfield Ladies quando tinha apenas 15 anos, conseguindo a sua primeira internacionalização sub-17 no mesmo ano. Kelsie e a companheira de seleção Abbie Magee foram colegas de escola no Nendrum College, na cidade de Comber, no condado de Down. Os seus percursos de carreira foram quase paralelos desde que Burrows chegou ao Linfield vinda do clube local Comber Rec, exceção feita a um curto período em que ela jogou pelo Blackburn Rovers quando frequentava a universidade. Agora ambas jogam juntas nas Linfield Ladies.

Conseguiu a sua primeira internacionalização sénior em março de 2020 e 18 meses mais tarde o selecionador Kenny Shiels depositou confiança suficiente nela para lhe dar pela primeira vez a titularidade num jogo oficial frente à Inglaterra, em Wembley.

14
Lauren Wade (Getty)

LAUREN WADE

Data de Nascimento: 22.11.1993

Posição: Extremo

Clube: Glentoran

O nome de Wade correu a Europa em 2020, quando ela marcou um enorme golo pelo Glasgow City nos quartos de final da Liga dos Campeões, frente ao Wolfsburgo. Infelizmente, as gigantes alemãs marcaram oito na outra baliza, pelo que o seu remate maravilha não teve tanta atenção como merecia. Uma cirurgia à anca quando adolescente ameaçou acabar com a sua carreira, mas ela conseguiu ganhar uma bolsa universitária nos EUA e jogou profissionalmente na América antes de se mudar para Glasgow.

O seu avô, Hugh Wade, é um antigo presidente do Coleraine, clube da Liga norte-irlandesa, e foi um alto funcionário da Federação, além de gerir um importante negócio de família. Wade também trabalha no ramo funerário, que remonta a várias gerações da família, e quando a equipa está em estágio ela é a jogadora a bater na mesa de bilhar.

 

15
Rebecca Holloway (Getty)

REBECCA HOLLOWAY

Data de Nascimento: 25.08.1995

Posição: Defesa

Clube: Racing Louisville (EUA)

Nascida em Somerset, filha de pais nascidos por sua vez na África do Sul, Holloway tornou-se internacional pela Irlanda do Norte por puro acaso, depois de ser convidada para jogar um jogo quando visitava a avó em Ballymoney, no condado de Antrim, onde foi detetada pelo então selecionador Alfie Wylie. Produto da academia do Bristol City, onde foi treinada pelo futuro selecionador da Inglaterra Mark Sampson, Holloway passou quatro anos na Cumberland University, no Tennessee, onde brilhou pelo Cumberland Phoenix no NAIA (campeonato feminino universitário): venceu dois troféus de jogadora do ano e foi nomeada por três vezes para a equipa do ano.

Foi chamada pela primeira vez à seleção da Irlanda do Norte em agosto de 2019, mas só se estreou em fevereiro de 2021, devido à sua decisão de se concentrar no clube, quando tinha acabado de assinar pelo Birmingham City, bem como de proteger a sua saúde mental.

16
Nadene Caldwell (Getty)

NADENE CALDWELL

Data de Nascimento: 24.01.1991

Posição: Médio

Clube: Glentoran

Caldwell distinguiu-se como desportista nos tempos de escola, quando ganhou um prémio por ter sido a aluna que participou em mais atividades extracurriculares. Cresceu à sombra do Windsor Park e representou o Linfield, mas mais tarde atravessou Belfast para se juntar às rivais do Glentoran. Depois de se estrear pela Irlanda do Norte aos 17 anos, Caldwell esteve seis anos afastada da seleção entre 2014 e 2020, em parte por se ter juntado à amiga Demi Vance na Austrália, onde ambas jogaram pelo Redbacks, em Perth.

Também representou a Irlanda do Norte no futsal, enquanto fora de campo ela trabalha há vários anos no Belfast City Hospital. Fez uma pausa no emprego para entrar na preparação a tempo inteiro da Irlanda do Norte para o Euro 2022.

17
Laura Rafferty (Getty)

LAURA RAFFERTY

Data de Nascimento: 29.04.1996

Posição: Médio

Clube: Southampton

Natural de Southampton, o seu objetivo é jogar pela Irlanda do Norte na sua cidade natal neste verão. Rafferty é elegível para a Irlanda do Norte porque ambos os pais nasceram em Belfast, e ela veste a camisola verde desde os 15 anos, quando chegou à seleção sub-19. Quando era mais jovem foi impedida de jogar numa competição masculina – talvez por ter marcado 50 golos em apenas oito jogos.

Jogou ao mais alto nível na Liga inglesa tanto pelo Chelsea como pelo Bristol City, além de ter uma passagem de quatro anos pelo Brighton, que foi muito prejudicada por uma lesão no ligamento cruzado e pela covid-19. Rumou ao Southampton, o clube da sua cidade natal, no verão passado. Tem o seu próprio canal de Youtube com a companheira de clube e de seleção Ciara Watling.

 

18
Louise McDaniel (Getty)

LOUISE MCDANIEL

Data de Nascimento: 24.05.2000

Posição: Médio

Clube: Cliftonville

Embora tenha apenas 22 anos, McDaniel já fez história por duas vezes no futebol feminino da Irlanda do Norte. Em 2017, ela marcou o primeiro golo de sempre do país num grande torneio, no Europeu de sub-17 – o empate frente à Escócia que deu à Irlanda do Norte o seu primeiro ponto a esse nível. Em setembro de 2021, tornou-se com o golo frente à Letónia, em jogo de qualificação para o Mundial, a primeira jogadora a marcar pela Irlanda do Norte em Windsor Park – a casa do futebol no país.

Ela foi bem sucedida no Linfield, antes de conseguir uma transferência para o Blackburn Rovers, mas ficou lá pouco tempo, rumando em seguida ao Heart of Midlothian, na Escócia. No entanto, a covid-19 arruinou essa mudança e ela voltou a casa em abril de 2021 para representar o Cliftonville.

 

19
Emily Wilson  (Getty)

EMILY WILSON

Data de Nascimento: 26.08.2001

Posição: Avançada

Clube: Crusaders Strikers

Wilson faz parte de um grupo de jogadoras, no qual se incluem Abbie Magee, Megan Bell e Louise McDaniel, que já viveram um Europeu, quando a Irlanda do Norte recebeu a fase final da competição no escalão sub-19, em 2017. Apesar de muito nova, ela já soma mais de 30 internacionalizações nos vários escalões, tendo-se estreado pela equipa principal na crucial vitória caseira sobre a Bielorrússia, no penúltimo jogo da fase de grupos de qualificação para o Euro 2022, na ausência de Simone Magill.

Estudante de Estudos Desportivos na universidade do Ulster, ela jogou hóquei quando era mais jovem e também futebol no clube masculino local Antrim Roves, antes de rumar ao Glentoran e depois ao Crusaders Strikers, onde se afirmou como a principal avançada da equipa. Na escola também foi uma talentosa velocista nos 100m.

Textos originais de Stuart McKinley, do Belfast Telegraph

20
Joely Andrews (Getty)

JOELY ANDREWS

Data de Nascimento: 30.04.2002

Posição: Médio

Clube: Glentoran

Andrews já foi uma jovem adepta a ver jogar pela seleção as suas atuais companheiras Julie Nelson, Ashley Hutton, Sarah McFadden e Rachel Furness. Embora tenha apenas 20 anos, ela já começou o seu percurso de treinadora e trabalha com uma das equipas mais jovens do seu clube, o Glentoran. Jogou na seleção de sub-17 ao lado de Toni Leigh Finnegan, Kerry Beattie, Danielle Maxwell e Caitlin McGuinness e não ficou muito tempo nesse escalão até se estrear na seleção principal em setembro de 2020, frente às Ilhas Faroé.

Apesar das duas derrotas da seleção, a ronda de abril de qualificação para o Mundial foi especial para Andrews, que marcou o seu primeiro golo pela Irlanda do Norte frente à Áustria e ganharia pela primeira vez a titularidade num jogo oficial frente a Inglaterra, alguns dias mais tarde. O facto de se ter juntado em janeiro ao programa de preparação a tempo inteiro da seleção, dedicado às jogadoras que atuam na Irlanda do Norte, significou que ela teve de tentar conciliar os estudos em psicologia na universidade do Ulster com o futebol.

21
Caitlin McGuinness (Getty)

CAITLIN MCGUINNESS

Data de Nascimento: 30.08.2002

Posição: Avançada

Clube: Cliftonville

Caitlin e a irmã mais velha Kirsty são praticamente inseparáveis. Apesar dos oito anos de diferença, elas jogam juntas nas mesmas equipas há algum tempo – desde o St Paul’s, o seu clube de futebol gaélico, ao Linfield, Sion Swifts e agora Cliftonville, na Liga norte-irlandesa.

A sua estreia na seleção principal, no entanto, aconteceu sem a irmã mais velha ao seu lado, quando ela foi titular na Noruega em outubro de 2019, na qualificação para o Euro 2022. Jogaram juntas pela primeira vez um ano mais tarde, tornando-se as primeiras irmãs a representar a Irlanda do Norte, e marcaram ambas no mesmo jogo, na vitória por 5-1 sobre as Ilhas Faroé que selou o lugar da Irlanda do Norte no play-off.

 

22
Abbie Magee (Getty)

ABBIE MAGEE

Data de Nascimento: 15.11.2000

Posição: Defesa

Clube: Cliftonville

Magee é natural de Killyleagh, a mesma aldeia do condado de Down de David Healy, recordista de golos na seleção masculina. Ela evoluiu na formação das Linfield Ladies ao lado das companheiras de seleção Megan Bell e Kelsie Burrows e venceu títulos consecutivos de campeã da Irlanda do Norte de 2018 a 2020. Teve uma estreia de fogo na seleção principal, entrando ao intervalo no jogo crucial com a Bielorrússia de qualificação para o Euro 2022, e saiu-se muito bem a ajudar a garantir uma vitória por 1-0 com apenas dez jogadoras em campo.

Uma lesão do ligamento cruzado em março de 2021 ameaçou a sua presença na competição, mas ela voltou ao fim de 12 meses para ser titular nos jogos de abril de qualificação para o Mundial, tendo-se transferido então para as Cliftonville Ladies. Quando não está a jogar, ela é treinadora na Rangers Academy, na Irlanda do Norte.

23
Shannon Turner (Getty)

SHANNON TURNER

Data de Nascimento: 08.09.1997

Posição: Guarda-redes

Clube: Wolverhampton

Turner começou a jogar futebol na escola primária como avançada – ainda alimenta a esperança de voltar um dia a ser jogadora de campo – e foi descoberta por olheiros do Birmingham City. Pouco depois de chegar ao Centro de Excelência do clube pediram-lhe para ir à baliza num dérbi frente ao Aston Villa e é aí que joga desde então. A jovem de Solihull é elegível para a Irlanda do Norte através dos avós de ambos os lados da família.

A mudança para a equipa feminina do Wolverhampton, no verão de 2021, mudou tudo para uma jogadora que tinha perdido a paixão pelo jogo. Menos de um ano mais tarde, ela está na equipa para o Euro 2022, quando estava afastada das opções da seleção desde a adolescência. É grande fã de críquete, que jogou quando era mais jovem e ainda segue atentamente. Também é apaixonada por animais, especialmente girafas.

Textos originais de Stuart McKinley, do Belfast Telegraph.

 

 

Maisfutebol
Uruguai: o guia 11 nov, 18:42
Gana: o guia 11 nov, 15:09
Brasil: o guia 10 nov, 21:39
Qatar: o guia 7 nov, 10:43
Alemanha: o guia 25 jun, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun, 00:00
Áustria: o guia 24 jun, 14:13
França: o guia 24 jun, 00:00
Portugal: o guia 23 jun, 20:41
Suécia: o guia 23 jun, 00:00
Suíça: o guia 23 jun, 00:00
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
Turquia 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51